Responsive Ad Slot

 


Últimas Notícias

latest

Alckmin exalta Lula como "maior líder popular do País" em evento

14.4.22

/ por casinhas agreste

Indicado para ser vice na chapa com o petista, ex-governador afirmou que chega para somar esforços, de coração e com entusiasmo em benefício do Brasil

O ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSB) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) formalizam aliança para eleição em 2022
Foto: Bruno Rocha/Enquadrar / Estadão

Um dia após o diretório nacional do PT aprovar o nome do ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSB) à vice na chapa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o ex-tucano participou da agenda política do petista desta quinta, 14, e afirmou que a luta sindical "deu ao Brasil o maior líder popular deste País: Lula". A declaração foi feita de forma exaltada, ao de Lula, durante encontro com representantes das principais centrais sindicais brasileiras, em São Paulo.

"Nós estamos em um dia histórico. Reúnem-se as maiores centrais sindicais do Brasil, de todo o País. É um exemplo, e nos remete à nossa história. Que quando todas as vezes que o Brasil estava em risco, o povo brasileiro, o Brasil se uniu, não se apequenou", disse Alckmin, em alusão ao período da ditadura militar. O ex-tucano iniciou o discurso se referindo aos novos aliados como "companheiro Lula e companheira Gleisi (Hoffmann, presidente do PT)".

Notícias relacionadas
Novo presidente da Petrobras defende atual política de preços
Diretório do PT aprova indicação de Alckmin como vice de Lula
PT adia lançamento da chapa Lula-Alckmin para 7 de maio
As notícias do dia você acompanha na capa do Terra; confira!

Sob aplausos e gritos dos sindicalistas, Alckmin afirmou que quando houve tentativas de tirar o direito dos trabalhadores, o mundo sindical se reorganizou e ampliou a presença nas indústrias, na cidade e no campo. "Quando precisava tirar da ditadura, liberar o País, o Brasil se uniu, houve uma união. Quando o Brasil precisava de uma Constituição Cidadã, lá estava Lula, Ulysses, Florestan Fernandes, Mário Covas, FHC", afirmou no encontro.

Sem citar nominalmente o presidente Jair Bolsonaro (PL), o ex-governador criticou o governo brasileiro que "odeia a democracia e tem admiração pela tortura". Segundo Alckmin, diante do desemprego, da fome e da inflação que vigoram no País, "o Brasil se agiganta nessa reunião histórica com as mais importantes centrais sindicais". "Venho somar o meu esforço pequeno, humilde, mas de coração e entusiasmo em benefício do Brasil. À luta de vocês", enfatizou.

Do Site Terra

Nenhum comentário

Postar um comentário

DIVULGAÇÃO

 


Veja também
© Todos os Direitos Reservados