Marina Silva é entrevistada no Jornal da Globo

Marina Silva é entrevistada no Jornal da Globo
A candidata do PSB à Presidência da República foi entrevistada por William Waack e Christiane Pelajo.


A primeira entrevista  do Jornal da Globo com os principais candidatos à presidência é com Marina Silva, do PSB. A ordem foi definida por sorteio na presença dos assessores dos candidatos.
Para atender a um pedido dos candidatos, ficou acertado que as entrevistas seriam gravadas. As gravações serão exibidas na íntegra, sem qualquer tipo de edição ou corte.
PRIMEIRA PARTE
CLICK  NA IMAGEM ABAIXO E ASSISTA TODOS OS VÍDEOS COM A ENTREVISTA


SEGUNDA PARTE

Christiane Pelajo: Boa noite, candidata. Eu vou fazer a primeira pergunta e nosso tempo começa a contar a partir de agora. Candidata, desde sexta-feira, quando foi lançado, o seu programa de governo foi modificado em itens como casamento entre gays. Houve um recuo em relação a algumas reivindicações de movimentos que defendem os homossexuais. É um recuo da senhora em relação à constatação de que a senhora é mais conservadora do que alguns eleitores acreditavam? Na verdade, é uma concessão à religião num estado laico?
Marina Silva: Na verdade, Chris, o que aconteceu foi que houve um erro de processo. A equipe do programa de governo foi quem fez a correção. Eu nem interferi nesse processo. Aconteceram duas falhas. Uma foi em relação à energia nuclear, que na parte de ciência e tecnologia estava dito que iria, no finalzinho de uma frase, ampliar a participação da energia nuclear na matriz energética brasileira. E a outra foi que o documento que foi encaminhado como contribuição pelo movimento LGBT, não foi considerado documento da mediação do debate, foi um documento tal qual eles enviaram. Vários setores mandaram contribuições e obviamente que nenhum setor colocou 100% das propostas que colocou. Eu mesma que sou ambientalista não iria ter a pretensão de que todas as propostas que eu apresentei iriam ficar ipsis litteris. Então o que aconteceu foi uma correção, porque houve uma mediação no debate. Mas os direitos civis da comunidade LGBT, o respeito à sua liberdade individual, o combate ao preconceito, isso está muito bem escrito no nosso programa, melhor do que dos outros candidatos.
William Waack: Candidata, quanto à energia nuclear a gente volta ainda ao assunto. A senhora é contra ou a favor o casamento gay?
Marina Silva: A Constituição brasileira, ela tem uma diferenciação em relação ao casamento. O casamento é utilizado para pessoas de sexo diferente. Para pessoas do mesmo sexo, o que a lei assegura, o que o Supremo já deu ganho de causa com os mesmos direitos, equivalentes ao do casamento, é a união civil.
Christiane Pelajo: Mas não a lei, candidata, a senhora?
William Waack: É a resposta que a senhora tem dado. A senhora, qual é a sua posição?
Marina Silva: A minha posição é de respeito à liberdade individual das pessoas. Nós vivemos em um estado laico, as pessoas têm o direito de exercitar sua liberdade, independente da condição social, de raça ou de orientação sexual.
William Waack: Se eu fizer uma manchete dizendo: a candidata Marina Silva é a favor do casamento gay. Eu estou errado?
Marina Silva: Em termos da palavra casamento você está errado, porque o que nós defendemos é a união civil entre pessoas do mesmo sexo.
William Waack: A manchete correta então seria: Marina Silva é contra o casamento gay?
Marina Silva: A manchete seria: Marina Silva é a favor da união civil entre pessoas do mesmo sexo.
William Waack: Casamento é uma palavra que não sai da sua boca.
Marina Silva: É que é a forma como nós colocamos no nosso programa.
Christiane Pelajo: O que que impede a senhora de ser a favor da lei que equipara a homofobia ao racismo. É religião?
Marina Silva: Não. É que a lei que está em tramitação, ela ainda não faz a diferenciação adequada em vários aspectos. Por exemplo, ninguém pode defender homofobia, qualquer forma de preconceito, discriminação. Por outro lado, você tem os aspectos ligados à convicção ou à manifestação de uma opinião. Você tem que separar isso. E na lei isso não está adequadamente claro. Por isso que nós não colocamos tal qual o movimento havia encaminhado, reafirmando o que está no PLC, da forma como está. Mas há que se ter sim os regramentos legais, para que não se permita nenhuma forma de discriminação, nenhum tipo de preconceito e que se possa tratar todas as pessoas com direitos iguais, porque afinal de contas, como eu disse, nós vivemos em um estado laico, que não pode permitir discriminação contra quem quer que seja.
Christiane Pelajo: Candidata, hoje saiu uma reportagem no jornal Folha de S.Paulo, dizendo que em momentos cruciais a senhora decide com base em consultas aleatórias à Bíblia. Eu gostaria de saber se isso é verdade. E também gostaria de saber se a senhora acha que um presidente pode agir assim, ou se um presidente deveria agir sempre com avaliação realista dos fatos.
Marina Silva: Todos nós agimos em base, na relação realista dos fatos, mas os seres humanos, eles têm uma subjetividade. Uma pessoa que crê, obviamente que tem na Bíblia uma referência, assim como tem na referência a arte, a literatura. Às vezes, você pode ter um insight assistindo um filme. O quanto nós já avançamos do ponto da ciência e da tecnologia, pela capacidade antecipatória, que você encontra, enfim, na indústria cinematográfica.
Christiane Pelajo: Mas a senhora toma decisões lendo a Bíblia aleatoriamente? É verdade isso?
Marina Silva: Olha, isso é uma forma que as pessoas foram construindo, ou estão construindo, pra tentar passar uma imagem de que eu sou uma pessoa que é fundamentalista, essas coisas que muita gente de má fé acabam fazendo.
William Waack: Mas a senhora é uma pessoa profundamente religiosa. Seria absolutamente normal que a senhora procurasse num texto religioso amparo para as decisões que senhora toma. A pergunta é a seguinte: qual é o tamanho desse amparo que a senhora toma em preceitos religiosos, frente ao que a senhora pretende ser, que é governante de todos os brasileiros, tomando decisões nacionais.
Marina Silva: O mesmo amparo que você pode tomar a partir de outros referenciais. A Bíblia é, sem sombra de dúvida, uma fonte de inspiração pra qualquer pessoa que é cristã ou que é um judeu, enfim, e que não vai negar que é uma fonte de inspiração, mas existem outras fontes de inspiração, às quais eu já me referi. As decisões são tomadas com base racional pra todas as pessoas. Agora, dificilmente você vai encontrar uma pessoa que diga que ela é 100% racional. Essa pessoa estaria presa à realidade, e com certeza, se os especialistas do comportamento forem avaliar uma pessoa como essa, vai ver que ela tem uma subjetividade muito pobre. Qualquer pessoa forma, toma as suas decisões considerando vários aspectos. Ele é atravessado pela cultura; se tem crença, pela espiritualidade; se é da ciência, pelo conhecimento científico. O ser humano não é uma unidade, digamos, pura de alguma coisa não é? Somos seres subjetivos, e a subjetividade é uma riqueza interior, para qualquer ser humano.
William Waack: Nós estamos entrando no campo da política e imediatamente vem à minha mente algumas das críticas que a senhora tem feito recorrentemente ao que a senhora chama de crise da democracia representativa brasileira. Democracia essa que lhe permitiu, candidata, de vereadora a ser duas vezes candidata a presidente. A senhora é um exemplo de uma democracia representativa que permite que as pessoas ascendam. Que crise é essa, afinal?
Marina Silva: Eu tenho falado na verdade, William, da crise da política.
William Waack: Que é diferente da crise da democracia representativa. Mas é essa que a senhora criticou mais. A democracia representativa.
Marina Silva: Não, eu não teci nenhum comentário em relação a isso.
William Waack: Está no seu programa.
Marina Silva: Eu tenho falado de uma crise da política e nessa crise, obviamente, que você tem que reconhece-la. Eu não acho que as pessoas devam fazer vistas grossas para o que está acontecendo, não só no Brasil, mas no mundo inteiro. Cada vez....
Christiane Pelajo: Mas crise da política ou da democracia? O William falou em crise da democracia.
Marina Silva: Eu diria que a gente precisa aprofundar sim a nossa democracia.
William Waack: Isso significa democracia direta, por conselhos populares?
Marina Silva: Não, é uma combinação das duas coisas. Ampliar a participação das pessoas, ao mesmo tempo melhorar a qualidade da representação e das nossas instituições. Se nós partirmos do princípio de que a representação tá muito boa, obrigada, de que não temos problemas em relação às instituições políticas, nós vamos ficar metidos na situação de crise dramática que nós estamos hoje no Brasil, em que as conquistas que alcançamos a duras penas estão sendo ameaçadas pelo atraso na política, e até mesmo por um certo descolamento das pessoas em relação à capacidade de acreditar que os políticos e os partidos podem ajudar a resolver os seus problemas. O que eu busco é aperfeiçoar a nossa democracia, democratizar a nossa democracia, combinando a participação correta e legítima, pelo o que é assegurado na Constituição, dos cidadãos. Nós somos eleitos para representar, não é para substituir o representado.
William Waack: A sua crítica tem um eixo muito forte, no sentido de pedir mais participação popular ou participação direta. O que a senhora quer dizer exatamente? A senhora apoia, por exemplo, os conselhos populares que o Congresso quer derrubar, e que não descritos como uma herança do bolivarianismo, que tem causado enormes prejuízos às instituições políticas na América Latina?
Marina Silva: Uma coisa importante pra a gente pensar, William, é o que que significa ampliar a participação das pessoas? Isso não tem nada a ver com bolivarianismo, isso tem a ver com melhorar a qualidade das instituições. Se nós não partimos do princípio de que os partidos precisam se renovar na sua forma, em relação à linguagem, às suas estruturas, nós vamos criar um descolamento. Eu sempre...
William Waack: Mas isso não tem a ver com conselhos populares, candidata. O que a senhora está dizendo, melhorar as instituições, isso vale para qualquer democracia representativa.
Marina Silva: Vale para qualquer democracia. E quem foi que disse...
William Waack: A pergunta é: a senhora é a favor da democracia direta?
Marina Silva: E quem foi que disse? Eu sou a favor da combinação das duas coisas. A Constituição brasileira assegura as duas coisas. Nós não podemos achar que uma coisa é em prejuízo da outra. Pelo contrário. Há um processo de retroalimentação entre a participação do cidadão dos diferentes setores que enriquece o processo democrático e, obviamente, que temos que ter instituições que passam a ser o polo estabilizador da democracia.
William Waack: O Congresso, no caso?
Marina Silva: O Congresso Nacional. Eu fui senadora durante 16 anos, né? Eu tive que aprovar projetos de lei convencendo os meus pares. Como ministra do Meio Ambiente eu dialoguei com todos os parlamentares. Aprovei projetos de leis que eram quase impossíveis de serem aprovados, como é o caso da Lei de Gestão de Florestas Públicas, a Lei da Mata Atlântica, a lei que criou o serviço florestal brasileiro, a lei que criou as concessões públicas para florestas, que era um mito.
William Waack: Ou seja, a senhora está considerando todos os argumentos a favor das instituições existentes e não de conselhos populares.
Marina Silva: Eu estou dizendo que quando se tem a contribuição da sociedade, o Parlamento, o Executivo, todos nos enriquecemos. O que eu fiz como ministra para conseguir reduzir desmatamento, na proporção que conseguimos, foi transformando boas ideias em políticas públicas, dos movimentos sociais, da academia, do próprio Congresso e dos gestores públicos. Hoje não tem mais essa ideia de que você faz as coisas pura e simplesmente para a sociedade. Você faz com a sociedade. Fazer com é diferente de fazer para. Conheço muitas pessoas que estão dizendo ai que é um perigo dizer que vai governar com a participação da sociedade. Mas também não é bom achar que vai governar apenas para os partidos.
Christiane Pelajo: Candidata, a gente tem que fazer um pequeno intervalo, mas a gente volta daqui a pouquinho com a segunda parte da entrevista com a candidata do PSB, Marina Silva.
Christiane Pelajo: Estamos de volta com a entrevista da candidata do PSB à presidência da República, Marina Silva. O seu tempo volta a contar a partir de agora, candidata. Candidata, a senhora já se comprometeu em manter o tripé: meta de inflação, câmbio flutuante, superávit fiscal. Eu queria saber como é que a senhora vai pilotar a economia no ano que vem, 2015. Um ano que os economistas, todos concordam, que vai ser necessário um ajuste forte com corte grande de despesas.
Marina Silva: Em primeiro lugar, recuperando o tripé da política macroeconômica brasileira. Nós estamos vivendo diante de uma situação em que essa conquista da sociedade brasileira está sendo completamente desconstituída. A presidente Dilma ganhou o governo dizendo que ia fazer a baixa dos juros, que iria reduzir a inflação e que iria fazer o nosso país crescer. O nosso país não está crescendo, a inflação está aumentando e os juros estão subindo. É fundamental que o país tenha estabilidade econômica para que a gente não perda as conquistas que já alcançamos, inclusive as conquistas sociais, e que a gente possa aumentar o investimento. E, para aumentar investimento, é fundamental que se readquira confiança. A confiança, ela se dá em dois níveis: uma é a confiança que o governante passa. E eu sinto que a sociedade brasileira e os investidores já não conseguem mais ter confiança no governo e na forma como a presidente Dilma governa. E a outra forma é combinando os instrumentos de política macroeconômica com os instrumentos de política microeconômica, criando um ambiente favorável para o investimento, aonde você não tem essa situação que nós estamos vivendo agora. Nós temos, por dois trimestres consecutivos, o país crescendo de uma forma que já faz com que tenhamos o risco de uma contração na nossa economia.
Christiane Pelajo: A senhora quer manter os programas sociais atuais e ainda criar outros. A senhora disse hoje, inclusive, que vai conseguir isso apenas melhorando gasto e arrecadação. É o que todos os políticos em campanha, no mundo inteiro, dizem. Candidata, a senhora vai aumentar impostos? É a minha pergunta.
Marina Silva: O nosso compromisso é de não aumentar impostos.
Christiane Pelajo: E como é que a senhora vai conseguir?
Marina Silva: O nosso compromisso é de dar eficiência ao gasto público. Tem muitos desperdícios, inclusive o desperdício da corrupção, e quando o país volta a crescer, a gente vai conseguindo o espaço fiscal para poder fazer os investimentos sociais. É uma questão de escolha. A escolha, se o principio é, de que queremos prover à sociedade com a saúde que acolhe quando mais se precisa desse acolhimento, e não deixar as pessoas morrendo nos hospitais, nós vamos conseguir os meios para os 10% do orçamento bruto para investir na saúde. Se a nossa escolha é de que queremos que os jovens tenham o passe livre, nós vamos ter os recursos, fazendo todos esses esforços que acabamos de fazer. Se conseguiu R$ 500 bilhões para ungir empresas que recebem esses recursos a juros subsidiados e depois se vem com os argumentos de que não é possível alocar os recursos para atender os brasileiros na saúde, na educação, na segurança?
William Waack: Candidata, deixa eu trazer a sua atenção para outras questões estratégicas que tem a ver com economia. O pré-sal, por exemplo, é talvez a aposta do atual governo, não só como instrumento de arrecadação, mas, sobretudo, como instrumento de desenvolvimento. A senhora tem dito, por exemplo, hoje, que o pré-sal é uma prioridade entre outras. O que isso significa? Que a senhora deixará o pré-sal caminhando de maneira morna?
Marina Silva: Isso significa que, se eu disser que a educação é uma prioridade entre outras, eu estou dizendo que a educação é prioridade, mas a saúde também é prioridade. Se eu estou dizendo que o pré-sal é uma prioridade entre outras, eu estou dizendo que nós vamos explorar os recursos do pré-sal, mas também vamos dar um passo à frente. Vamos investir em energia limpa com o uso da biomassa, o uso do vento, o uso do sol. William, não faz sentido termos a maior área de insolação do planeta e termos a quantidade de energia solar que nós temos. A Alemanha tem ‘zero vírgula nada’ de sol e tem 20% de sua matriz energética de energia solar. Nós temos um enorme potencial de biomassa e nós não estamos fazendo os investimentos. É você cuidar do lugar onde a bola está, mas sem ficar apenas nesse lugar. É você ir também para onde a bola vai estar. E o mundo inteiro está correndo atrás da ideia de uma economia de baixo carbono. O petróleo é uma necessidade não é só do Brasil, não, é do planeta. Ainda não se conseguiu a fonte de geração de energia que vai substituir esse combustível fóssil.
William Waack: A senhora tem sido uma entusiasta do etanol, que a senhora, nome que a senhora não citou na sua longa lista de energias que poderiam combinar com as energias  fósseis e garantir ao Brasil uma nova matriz. A senhora vai subir a gasolina quando, pra salvar o etanol?
Marina Silva: Na verdade essa política desastrosa do governo, que está subsidiando gasolina, inclusive fazendo a importação desse combustível com um preço elevado, e que acabou destruindo a indústria do etanol. O que eu espero é que os preços administrados pelo governo possam ser corrigidos pelo próprio governo e criarmos os mecanismos.
William Waack: A senhora está querendo que o governo desarme a bomba para a senhora? Que essa bomba cai no seu colo.
Marina Silva: Não, eu quero é que se tenha uma visão de país e não uma visão apenas das eleições. Essa visão tacanha de se pensar apenas em como vai ganhar o voto do cidadão e deixando a conta para depois, a conta da energia, a conta de todos os preços administrados, que senão a inflação estaria pior, isso não é a melhor governança. Eu fico impressionada como é que se sacrifica os recurso de milhares de anos por apenas uma eleição. É por isso que eu sou contra a reeleição. Eu estou dizendo que só vou ter um mandato de quatro anos, porque eu não quero governar pensando no que eu vou fazer para a próxima eleição. Eu quero governar pensando o que eu quero deixar para as futuras gerações e o que eu quero é um país que seja capaz de crescer, de fazer os investimentos, de ter credibilidade, de apostar em infraestrutura. Hoje nós perdemos quase 30% da nossa produção agrícola por falta de armazenamento, por falta de estrada, por fata de visão estratégica. Nós precisamos investir em educação de qualidade. Por isso que nós temos a proposta da educação integral de tempo integral. É ela que gera igualdade de oportunidade para que a gente possa ter um futuro para nossa juventude.
Christiane Pelajo: Candidata, a gente estava falando de energia e nós sabemos que as termelétricas salvaram o Brasil esse ano, mas o seu programa de governo ele fala em reduzir gradativamente o uso delas, porque elas poluem muito. A senhora vai mandar desligar as termelétricas, colocando em risco a luz na casa das pessoas em épocas em que hidrelétricas estão com baixo reservatório?
Marina Silva: Falando desse jeito tem um certo, uma certa simplificação do problema.
William Waack: Mas é o dilema do governante.
Marina Silva: Vamos pensar da seguinte forma. Nós hoje temos as termoelétricas como um recurso complementar quando os reservatórios baixam. Com um custo muito alto. Se nós estivéssemos já investido na geração distribuída de biomassa, por exemplo, utilizando o bagaço e a palha da cana-de-açúcar, que é equivalente a três, quatro Belo Monte, com certeza nós teríamos uma energia, um megawatt/hora de R$ 200. Hoje, nós estamos com o megawatt/hora de R$ 1.000 a R$ 1.700. Você advoga isso como política e defende isso como meio da nossa matriz energética. Nós não podemos prescindir dessa fonte auxiliar, mas nós temos que buscar os novos investimentos. É isso que nós estamos propondo: ter uma matriz energética limpa, segura e diversificada, utilizando o grande potencial que o Brasil tem. Não faz sentido um país como o nosso não investir adequadamente em energia eólica, em energia solar. E, quando faz os investimentos, você tem a produção de energia eólica, mas não tem a forma como fazer a transmissão.
William Waack: Mas candidata, a senhora tem um nome internacional nessa discussão, uma discussão que a senhora conhece bastante bem. Por isso a senhora conhece bastante também as críticas que os especialistas fazem, toda vez que a energia eólica ou solar ou a biomassa, ou mesmo o etanol são mencionados nesse contexto. Os especialistas costumam dizer que são fontes suplementares. Portanto, não nos livram de um apagão, que se o Brasil tivesse crescendo, estaria provavelmente ai. Os especialistas estão errados?
Marina Silva: Olha, os especialistas também dizem que o Brasil pode avançar cada vez mais com fontes limpas de geração de energia. Eu não vejo nenhum especialista que advogue que nós tenhamos um modelo que vai sujar cada vez mais a nossa matriz energética. Nós temos uma grande fonte de geração que é a hidroeletricidade, 63% desse potencial está na Amazônia. Se os projetos tem viabilidade econômica, viabilidade ambiental e viabilidade social, é fundamental que se faça esses projetos. Mas é preciso avançar, é preciso fazer os novos investimentos. A China tá fazendo isso, a Alemanha tá fazendo isso, o mundo inteiro está investindo nas fontes renováveis de geração de energia. O Brasil, que tem a vantagem comparativa, infinitamente maior do que todos esses países, de ter as fontes naturais para a geração de energia, ele não está transformando esses meios em vantagens competitivas. Isso é falta de plano, de visão estratégica, é ficar preso aonde a bola está e não ir para onde a bola vai estar. É combinar as duas coisas. Eu repito, o pré-sal é importante, é uma fonte de riqueza, vamos utilizar os recursos para a educação, mas também para a ciência, para a tecnologia, para a inovação, para que o Brasil possa dar um passo à frente.
Christiane Pelajo: Candidata, muito obrigada pela sua entrevista. Uma boa noite para a senhora.
William Waack: Boa noite e obrigado.

fONTE: Rede Globo

Blog Casinhas Agreste
 www.casinhasagreste.com.br


 
Leia mais

Poeta de Casinhas declama e lança cordel na abertura da Semana Cultural de Surubim




Klebson Oliveira aproveitou a ocasião para fazer o lançamento do seu primeiro cordel, intitulado "Ariano Suassuna, O Eterno Escritor" (Foto: Facebook/Reprodução)
Da redação
charles Nascimento

Blog Mais casinhas

O poeta aqui do município de Casinhas, Klebson Oliveira, foi uma das atrações artísticas que se apresentaram nesta segunda-feira (01) na abertura da 10ª Semana da Cultura de Surubim, no Agreste. Acompanhado em acordes pelo violão do cantor surubinense André Lins, Oliveira declamou "A grandeza do povo sertanejo" e "Retrato na carteira", do poeta Zé Adalberto, e "Origem do meu Sertão", do violeiro Valdir Teles, além de poesias de sua autoria, como "Não tem remédio que dê jeito" e "O eterno escritor", em homenagem a Ariano Suassuna - que, aliás, virou tema do seu primeiro cordel, lançado no evento. A Semana da Cultura é promovida pela Prefeitura de Surubim e este ano está homenageando o cirandeiro "Noé da Ciranda".

Fonte: Mais casinhas

Blog Casinhas Agreste
 www.casinhasagreste.com.br


 
Leia mais

Em João Alfredo, motociclista morre em acidente

Na manhã desta segunda-feira, 01, a polícia foi noticiada através de populares que havia o corpo de um homem às margens da estrada que dá acesso à povoação do Ribeiro Grande, zona oeste do município de João Alfredo, onde durante o último final de semana ocorreu a tradicional Missa de São Bento.
Ao chegarem ao local, os policiais procederam a identificação do cadáver: Luciano Pereira da Silva, 32 anos, residente na cidade de João Alfredo.
Segundo informações, Luciano faleceu em decorrência de um acidente de moto, quando estava em companhia de um irmão, que foi socorrido  e teve uma das pernas quebradas, mas não corre risco de morte. O corpo de Luciano Pereira foi encaminhando ao IML-Recife.


FONTE: Blog Dimas Santos


Blog Casinhas Agreste
 www.casinhasagreste.com.br 
Leia mais

Vice prefeito de Cumaru morto a tiros na BR 104 em Caruaru

Vice-prefeito de Cumaru é morto a tiros na BR-104 em Caruaru, PE
Vítima estava em uma caminhonete quando o suspeito se aproximou e atirou.
Polícia Civil vai investigar o caso; até o momento ninguém foi preso.

Do G1 Caruaru

O vice-prefeito de Cumaru Marcos Antônio Bezerra Costa (PSD), de 49 anos, foi assassinado a tiros na manhã desta terça-feira (2), na BR-104, em Caruaru, no Agreste de Pernambuco. De acordo com informações da Polícia Militar, a vítima estava dirigindo uma caminhonete quando o suspeito teria se aproximado em uma moto e efetuado vários disparos.

Ainda segundo a PM, o vice-prefeito morreu no local. A polícia informou também que o pai dele é proprietário de uma lanchonete no Terminal Rodoviário de Caruaru e provavelmente ele estava se dirigindo para o local. A Polícia Civil vai investigar o caso. Até o momento ninguém foi preso.








Blog Casinhas Agreste
 www.casinhasagreste.com.br

Leia mais

Tragédia: Metralhadora Dispara e atinge Policial Militar com 8 Tiros Dentro de Viatura

Uma metralhadora destravada disparou e atingiu a soldado da policial militar Izabelle Pereira, dentro da viatura em que se encontrava.

A vítima que estaria de plantão em uma equipe do Batalhão de Radiopatrulha foi atingida por cerca de oito disparos em um dos braços. O fato aconteceu no bairro do São Jorge, durante rondas.

A militar foi encaminhada ao Hospital Geral do Estado em estado grave. A informação oficial é que a jovem foi submetida à intervenção cirúrgica. O hospital ainda não divulgou o boletim médico da vítima neste domingo.

Segundo informações de testemunhas havia quatro policiais na viatura no momento do acidente e a arma teria disparado após o veículo passar em uma lombada física.

A viatura já foi periciado pela equipe do Instituto de Criminalística.

Morte

Por volta das 10h30 da manhã deste domingo, o Hospital Geral do Estado confirmou que, após três cirurgias, a paciente Izabelle Pereira, faleceu na unidade.

Do: Patrulha do Agreste / Fonte: Alagoas 24Horas

Blog Casinhas Agreste
 www.casinhasagreste.com.br

 
Leia mais

Acidente de Trânsito Envolvendo Ambulância de Panelas Deixa Uma Mulher Morta e Um Jovem Ferido


Acidente de Trânsito Envolvendo Ambulância de Panelas 


O acidente aconteceu por volta das 16h de sábado (30), na PE 158, próximo ao distrito de Cruzes, zona rural de Panelas e resultou na morte da dona de casa e feirante, Maria Auxiliadora da Silva, de 44 anos, que morava no sítio Colônia em Panelas.

De acordo com informações, a moto estava sendo pilotada por um menor de 17 anos, que é filho da vítima e ao entrar em uma estrada vicinal, sem sinalizar, colidiu com a ambulância da Prefeitura de Panelas.

O motorista da ambulância identificado apenas por Renan acionou o SAMU e a PM e, se evadiu em seguida.

A mulher que não estava usando capacete morreu no local, enquanto que o seu filho foi socorrido para o Hospital Regional do Agreste (HRA) em Caruaru.

Do: Patrulha do Agreste / Fonte: Agreste Violento


Blog Casinhas Agreste 
 www.casinhasagreste.com.br


 
Leia mais

Homicida foragido do Estado de São Paulo é preso em Pernambuco

No Sábado (30), após denúncias realizadas à CIOSAC (Companhia Independente de Operações e Sobrevivência em Área de Caatinga), sobre um indivíduo que estaria ameaçando algumas pessoas no Sítio Manuíno, zona rural da cidade de Itaíba, uma equipe da CIOSAC, após diligências.

Conseguiu localizar WILSON GOMES DA SILVA, 45 anos, que também é acusado da prática dos crimes de homicídio e tentativa de homicídio, ocorridos do mês de março do corrente ano, na cidade de Atibaia, São Paulo.

Em sua propriedade, na zona rural de Itaíba, a CIOSAC localizou 03 (três) espingardas de antecarga.

Ao ser indagado sobre tais acusações, o mesmo confessou a prática do homicídio e tentativa de homicídio contra duas mulheres com golpes de facas. As vítimas, “Marlene” e “Dayane”, eram mãe e filha, respectivamente.

Apenas Dayane teria sobrevivido aos ferimentos. Após o ocorrido, o acusado informou que fugiu para o estado de Pernambuco.

Na ocasião, vários meios de comunicação divulgaram a ocorrência deste crime.

O detido foi conduzido à Delegacia de Polícia Civil da cidade de Arcoverde, e recolhido ao Presídio Advogado Brito Alves, na mesma cidade.
Com Patrulha do Agreste

Blog Casinhas Agreste 
 www.casinhasagreste.com.br


 
Leia mais

Homem é assassinado em Santa Cruz do Capibaribe com disparos de arma de fogo

Homem é assassinado no Loteamento Jaçanã em Santa Cruz do Capibaribe

Na noite desta Segunda-feira (01), aconteceu um homicídio na rua União, no loteamento Jaçanã. em Santa Cruz do Capibaribe.

Segundo Informações José Sérgio Cavalcante 36 Anos, conhecido por ''Penugem'' foi atingido por vários disparos de arma de fogo.

A vitima estava em frente a uma residência quando foi atingido por quarto disparos de arma de fogo, os disparos atingiu a vitima no braço, pescoço, e dois nas costas.

De acordo com testemunhas no local, foram ouvidos seis disparos, a vitima não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

Ainda não se sabe se o homicídio foi praticado por uma ou mais pessoas que efetuaram os disparos contra a vitima.

A Policia Militar fez o isolamento da área até a chegada da Policia Civil que fez o levantamento cadavérico.

O corpo foi encaminhado para o IML da cidade de Caruaru.

Fotos: Blog do Jota Lidío
Do: Patrulha do Agreste


Blog Casinhas Agreste
 www.casinhasagreste.com.br


 
Leia mais

URGENTE: Vice-prefeito de Cumaru é assassinado em Caruaru no Agreste de PE

Foto:Blog Mário Flávio  local do crime.

Dois homens numa moto executaram, há pouco, a tiros de revólver, o vice-prefeito de Cumaru, Marcos de Neco (PSD), 49 anos, no viaduto que dá acesso ao terminal rodoviário de Caruaru. A vítima, que além de político era comerciante de móveis, acabara de sair de uma lanchonete da família em Caruaru e voltava para Toritama dirigindo o seu carro, uma Picape Frontier – placas TGI-5213.

Não se sabe até o momento a motivação do crime. Segundo o prefeito de Cumaru, Eduardo Tabosa (PSD), o vice-prefeito não tinha inimigos, era muito querido no município e estava cotado para disputar a Prefeitura nas eleições de 2014 pelo seu grupo. “Ele seria o nosso candidato natural”, disse Tabosa. O corpo do prefeito, crivado de balas, permanece dentro do carro sendo periciado pela Polícia Civil em cima do viaduto que dá acesso a Caruaru.Informações Blog Magno Martins

Blog Casinhas Agreste
 www.casinhasagreste.com.br

 
Leia mais

Em Casinhas,o Município bate o recorder no número de motocicletas, veja a frota de veículos

Imagem ilustrativa
Do Blog
Edmilson Arruda

De acordo com o censo 2013 do IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística o número de veículos no Município de Casinhas aumentou demasiadamente, houve um grande crescimento no número de motocicletas e veículos automotores, batendo um recorder histórico.

A condição de vida do cidadão têm melhorado ao longos dos anos, em Casinhas não é diferente, qualquer cidadão casinhense deseja ter um veículo, seja uma motocicleta ou outro meio de locomoção para realizar suas atividades diária.

Basta observar o número de veículos que transitam diariamente na PE 102. A rodovia foi a mola propulsora para esse crescimento, antes não tinhamos tanto veículo, atualmente ficou melhor de transitar de Casinhas a Surubim ou para umbuzeiro sentido Paraíba o que incentivou a compra de veículos.

Além do fator econômico a rodovia beneficiou a vida dos casinhenses, o que também têm gerado o número alarmante de acidentes vitimando jovens e adultos com vítima fatal ou sequelas para o resto da vida.

O uso da motocicleta

A motocicleta é muito usada para atividades do homem do campo ou até mesmo na pecuária,  antes víamos  um vaqueiro montado no cavalo, atualmente percebe-se o vaqueiro transitando atrás do animal montado em uma motocicleta. Ainda a moto é muito usada em diversas atividades, como mototáxi, viajens para o trabalho, passeio e outras formas de atividade.
Fica registrado o crescente número de veículos, que graças a algumas facilidades na compra do veículo.

confira:

veja detalhes aqui 


Frota - 2013

Automóvel 447 automóveis
Caminhão 58 caminhões
Caminhão trator 0 caminhões Trator
Caminhonete 95 caminhonetes
Camioneta 13 camionetas
Micro-Ônibus 132 micro-ônibus
Motocicleta 1.560 motocicletas
Motoneta 59 motonetas
Ônibus 16 ônibus
Trator de rodas 0 tratores de rodas
Utilitário 0 utilitários
Outros 1 veículos


imprimir

Frota - 2013AutomóvelCaminhãoCaminhão t...CaminhoneteCamionetaMicro-ÔnibusMotocicletaMotonetaÔnibusTrator de r...UtilitárioOutros05001.0001.5002.000
Frota - 2013
Automóvel447automóveis
Caminhão58caminhões
Caminhão trator0caminhões Trator
Caminhonete95caminhonetes
Camioneta13camionetas
Micro-Ônibus132micro-ônibus
Motocicleta1.560motocicletas
Motoneta59motonetas
Ônibus16ônibus
Trator de rodas0tratores de rodas
Utilitário0utilitários
Outros1veículos
fechar [x]

Blog Casinhas Agreste
 www.casinhasagreste.com.br


 
Leia mais

Em Pernambuco, Marina tem 41%, Dilma tem 35% e Aécio tem 3%


Esta foi a primeira pesquisa publicada pelo JC após Marina assumir candidatura à Presidência

Do JC Online

Após assumir a candidatura presidencial do PSB – com a morte do ex-governador Eduardo Campos no dia 13 de agosto –, a ex-senadora Marina Silva (PSB) aparece na dianteira da disputa nacional na terra do seu ex-companheiro de chapa, Pernambuco. Na consulta do Instituto de Pesquisa Maurício de Nassau (IPMN), encomendada pelo Portal Leia Já e publicada em parceria com o Jornal do Commercio, ela desponta com 41% das intenções de voto. A presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, perde o posto de liderança no Estado e cai para 35%. Estacionado, o candidato a presidente pelo PSDB, Aécio Neves, pontua 3% da preferência da intenção de voto.

LEIA TAMBÉM
Armando e Paulo em empate técnico na corrida para o governo de Pernambuco
Paulo tem maioria na capital. Armando é mais forte no interior
Para o Senado, João Paulo tem 29% e Fernando Bezerra Coelho, 19%
O cientista político e professor da Universidade Federal de Pernambuco, Adriano Oliveira, um dos coordenadores da pesquisa, destaca que a liderança de Marina Silva ainda não é algo consolidado. “Não há um leve favoritismo de Marina. Assim como Paulo Câmara (candidato do PSB ao Governo do Estado) foi beneficiado pelo voto de gratidão ao ex-governador Eduardo Campos, após a tragédia, ela também foi”, diz. 

Ele enumera dois outros dados para justificar o quadro ainda flutuante. Entre aqueles que afirmaram que o Brasil mudou para melhor nos últimos anos (55%), 66,2% atribuem a melhora ao ex-presidente Lula (PT) e 24,5% à presidente Dilma Rousseff (PT). “Essa dianteira pode ser momentânea. Vai depender muito da conjuntura nacional daqui para frente. Hoje, pode-se dizer que existe de fato um fenômeno ou onda Marina”, explica Adriano. 

Na última pesquisa, divulgada no final de julho, o ex-governador ainda estava concorrendo. Mesmo com alto índice de aprovação no Estado, Eduardo Campos travava uma disputa acirrada pelo voto com a presidente Dilma. Naquele momento, o socialista obteve 30% e a petista, 40%. O tucano aparecia com 4%. Com exceção do Pastor Everaldo (PSC), que marcou 1%, os demais candidatos não pontuaram. 

Localização de maior peso eleitoral, o Recife e Região Metropolitana proporcionam à candidata do PSB, Marina Silva, uma certa vantagem. Na capital, ela tem mais que o dobro da porcentagem de intenção de voto sobre a concorrente petista – 53% contra 24%. Nos municípios que integram a região metropolitana, com exceção do Recife, a mesma tendência: 45% contra 30%. O cenário confortável para Marina ainda alcança a Zona da Mata, onde ela aparece com 42% contra 31%. 

“Esse grande percentual de intenção de voto de Marina na Região Metropolitana deve ser mantido. É um dado que se verifica também nacionalmente. Ela tem mais apelo em áreas urbanas e capitais. Essa vantagem deve favorecer Paulo, que nas próximas pesquisas pode crescer. O bom desempenho de Marina Silva na capital vem do capital eleitoral que ela já tinha associado ao voto provocado pela comoção após a tragédia”, avalia. 

O cenário só se inverte em favor de Dilma no interior de Pernambuco. No Agreste, o quadro é de empate técnico (34% para Marina contra 37% para a presidente). No Sertão e região do São Francisco, a petista mantém a vantagem que já aparecia na última pesquisa. Ela aparece com 52% e 55%, respectivamente. Por sua vez, Marina está com 32% e 30%. 

É entre os jovens de 16 a 24 anos que a presidenciável do PSB tem mais apelo de voto. Marina Silva detém 50% da intenção de voto entre os eleitores dessa faixa etária contra 25% da presidente Dilma. Entre os de 25 a 34 anos, a mesma tendência. A socialista tem 44% contra 32% da petista. No que se refere ao grau de instrução, Marina também lidera com folga entre os que têm ensino médio completo (50%) e superior (50%). Dilma aparece com 29% e 23%, respectivamente.

Do Jornal do Commércio

Blog Casinhas Agreste
 www.casinhasagreste.com.br



 
Leia mais

Paraíba: Sapateiro faz campanha em jumento pelo Alto Sertão e arrasta eleitores para o voto de protesto


Candidato Gobira chegando de jumento durante arrastão
Candidato Gobira chegando de jumento durante arrastão
Entre os candidatos populares, sem estrutura de campanha, filiado a um pequeno partido e apostando na multiplicação dos votos de protesto, o ex-policial militar e sapateiro Antônio Gobira tem chamado a atenção no Alto Sertão da Paraíba pela multidão que arrasta nas suas atividades de campanha. Em Cajazeiras (a 480 quilômetros de João Pessoa), suas caminhadas e passeatas, convocadas geralmente pelas redes sociais, tem a participação irreverente de centenas de eleitores.


Candidato do PSOL a deputado federal, Antônio Gobira tem conseguido desbancar eventos de outros candidatos já conhecidos e filiados a grandes partidos. No dias em que suas atividades de campanha coincidem com a desses adversários, é unânime a opinião dos eleitores de que o sapateiro conseguiu reunir muito mais simpatizantes.

Gobira tem 57 anos. Já disputou outras eleições, mas não teve tanta repercussão. Ele tem o ensino fundamental incompleto e ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou que o seu limite de gastos na campanha é de R$ 200 mil.

Nas eleições deste ano, o sapateiro tem um slogan de campanha singular: 'Prego batido e ponta virada'. Em seus comícios, Gobira faz discursos inflamados, lembrando que é trabalhador e que tem uma vida humilde.

O apoio popular, baseado no voto de protesto, tem feito a diferença para esse candidato. Na sexta-feira passada, montado em um jumento, Gobira realizou um dos mais movimentados eventos políticos realizados em Cajazeiras nas eleições deste ano. Teve concentração, adesivagem e discursos.

Nas redes sociais, artistas, populares e empresários de Cajazeiras postaram mensagens de apoio à candidatura do sapateiro. O humorista Zé Lezin, que não é natural daquela cidade, também fez um vídeo. A maioria desses depoimentos é gravada pelo próprio candidato, que não tem página na internet, mas usa o Facebook como plataforma de sua campanha online.

Depois de Cajazeiras, o candidato organizou um evento na cidade de São João do Rio do Peixe realizado no sábado (30). 


Blog Casinhas Agreste 
 www.casinhasagreste.com.br



 
Leia mais

Ronaldo SKY

Ronaldo SKY

Casinhas-PE

Montagem criada Bloggif

Curta notícias

 
Casinhas PE Casinhas Agreste - Notícias do Agreste | Layout: Lenildo Ferreira Consultoria em Comunicação Contato © Blog de responsabilidade do professor Edmilson Arruda