Responsive Ad Slot

 


Últimas Notícias

latest

Com saída de Marília Arraes, PT não abre mão de indicar candidato ao Senado na chapa com PSB

23.3.22

/ por casinhas agreste

Partido dos Trabalhadores continuará com o debate interno para definir quem será o indicado ou indicada para a vaga no Senado

A reunião da Executiva Estadual do PT para discutir sobre a continuidade do processo de indicação de um nome para o Senado Federal, que seria realizada na noite desta terça-feira (22), foi cancelada. Após o Grupo de Tático Eleitoral do PT Pernambuco ter apresentado a deputada federal Marília Arraes como aquela que reuniria as melhores condições de representar o partido na chapa majoritária da Frente Popular, e a própria parlamentar ter desautorizado qualquer negociação em seu nome, há um entendimento de que é necessário fazer um intenso diálogo interno no partido.

Um dos nomes colocados à disposição da legenda para a vaga do Senado, na chapa encabeçada pelo pré-candidato a governador Danilo Cabral (PSB), o deputado federal Carlos Veras afirmou categoricamente que a opção a ser apresentada à Frente Popular continuará sendo do Partido dos Trabalhadores. Outros nomes como o da deputada estadual Teresa Leitão e o ex-deputado estadual Odacy Amorim, também estavam sob análise. 

Chegada de Geraldo Akckmin no PSB para ser vice do PT atrapalhou plano de Marília Arraes de ter aval oficial de Lula para voo solo
Marília Arraes deixa o PT atirando em Humberto Costa
Raquel se antecipou e anunciou candidatura publicamente depois da reunião de Marília Arraes com Lula
“O PT tem muitos quadros importantes e vamos continuar com o debate interno para apresentar um nome para o Senado Federal, um nome do partido do presidente Lula. Isso não muda em nada o roteiro construído pelo PT que é decidir ouvindo suas vozes, dialogando com a nacional e assim apresentar um nome para a Frente Popular”, afirmou Carlos Veras em conversa com o JC.


Ele também acredita que não seria interessante para o PSB entrar numa disputa sem o PT estar na majoritária e relembrou o gesto político do senador Humberto Costa em ter retirado a pré-candidatura a governador. “Não sei se é bom para o resultado eleitoral, não ter o PT na majoritária. Nós vamos cumprir com o compromisso assumido com o PSB e apoiar a candidatura de Danilo Cabral”, completou.

O parlamentar lamentou a decisão de Marília em “não atender e entender a necessidade de aliança em torno do ex-presidente Lula”, mas disse esperar que até o dia 2 de abril - fim do prazo da janela partidária - ela possa rever esse posicionamento. Veras também descartou qualquer possibilidade de o líder petista ter um palanque duplo no Estado, conforme vem sendo cogitado caso a deputada federal migre para o Solidariedade. Nessa segunda-feira (21), Marília externou a Lula, em uma conversa que durou cerca de uma hora e meia, que quer ser candidata ao Governo de Pernambuco.

“Não acredito nessa possibilidade, pois se fosse para ter dois palanques, seria com o senador Humberto Costa. Por que vamos apoiar dois palanques sem o PT? Só há um único palanque que segue a orientação do presidente Lula e que mostrará sua fidelidade partidária e política rumo a uma grande vitória”, declarou Carlos Veras.

Do Jornal do Comércio

Nenhum comentário

Postar um comentário

DIVULGAÇÃO

 


Veja também
© Todos os Direitos Reservados