Responsive Ad Slot

Últimas Notícias

latest

Governo de Pernambuco anuncia envio emergencial de Oxigênio para socorrer cidades do interior

29.5.21

/ por casinhas agreste

O governo de Pernambuco anunciou, na noite desta sexta-feira (28), a distribuição emergencial de 30 mil metros cúbicos de oxigênio para as unidades municipais de saúde que atendem pacientes com a
Covid-19 (veja vídeo acima). Também nessa data, o Ministério da Saúde disse que vai enviar "imediatamente" ao estado de 148 concentradores de oxigênio para apoiar o combate à pandemia.
De acordo com o governo estadual, foi montada uma central emergencial de fornecimento de gases hospitalares no Recife para normalizar o abastecimento de oxigênio no interior do estado, onde pelo menos 14 cidades têm risco de ficar sem oxigênio para tratar pacientes com a Covid-19 (veja mais abaixo).


Segundo o governador Paulo Câmara (PSB), esse quantitativo de 30 mil metros cúbicos de oxigênio é suficiente para abastecer até 3 mil cilindros das redes municipais de saúde.


“Esse suporte emergencial será dado enquanto as prefeituras ajustam seus contratos e regularizam o fornecimento de seus serviços médicos. Ressalto que a Secretaria Estadual de Saúde não tem problemas de abastecimento de oxigênio nas 66 unidades que administra”, disse, em um vídeo.



As remessas de oxigênio para as cidades do interior começam a ser feitas na tarde do sábado (29), conforme as necessidades apresentadas pelas prefeituras.


“Em comunicado aos gestores municipais, a Secretaria Estadual de Saúde ressaltou a importância da comunicação com antecedência para que o órgão estadual possa efetivar o apoio aos municípios em tempo oportuno”, informou o governo de Pernambuco, em nota.

Envio de concentradores de oxigênio



Concentradores de oxigênio foram solicitados para apoio no enfrentamento ao novo coronavírus — Foto: Miva Filho/SES-PE


Além dos 148 concentradores de oxigênio, o Ministério da Saúde anunciou, nesta sexta-feira (28), o envio para Pernambuco de exames de antígeno para testar a população e monitorar o cenário epidemiológico local.



No entanto, o governo federal não informou uma previsão de data para a chegada do material nem a quantidade de exames a serem enviados para o estado. O número de concentradores anunciado pelo ministério está abaixo do que foi solicitado pela Secretaria Estadual de Saúde.


Por conta do agravamento da pandemia da Covid-19, principalmente no Agreste, o governo do estado solicitou 500 concentradores e mil cilindros de oxigênio, além de 200 mil testes de antígeno e reforço na investigação genômica no estado.


Em nota, o Ministério da Saúde afirmou que "fez contato com os principais fabricantes do insumo e solicitou agilidade nas entregas dos eventuais pedidos feitos pelo estado e municípios".




Risco de faltar oxigênio





Municípios do Agreste estão com problemas de abastecimento de oxigênio

De acordo com o presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde, José Edson de Souza, o consumo nas cidade do Agreste aumentou cerca de cinco vezes (veja vídeo acima).


Ele, que é secretário de Saúde de Gravatá, disse que há risco de faltar oxigênio nas cidades de Pesqueira, Sanharó, Cupira, Panelas, Carpina, São Bento do Una, Taquaritinga do Norte, João Alfredo, Belo Jardim e Lajedo.


O presidente do conselho dos secretários municipais afirmou, ainda, que os municípios de Itaíba, Caetés, Jupi e Cachoeirinha também relataram estar com dificuldades no fornecimento de oxigênio para os pacientes.


José Edson afirmou que 250 cilindros de oxigênio chegaram a Pesqueira e João Alfredo, na tarde desta sexta-feira (28), vindos da cidade de Simões Filho, na Bahia.


Distribuidores pedem prioridades

Distribuidores de oxigênio hospitalar de Pernambuco divulgaram uma carta aberta, nesta sexta-feira (28), para pedir o governo providências para evitar o colapso no abastecimento no estado. No documento, eles solicitaram aos fabricantes que deem maior prioridade ao abastecimento de cilindros medicinais.


Ainda na carta, os distribuidores afirmaram que estão "trabalhando arduamente para que todas as unidades hospitalares sejam atendidas, contudo, há sinais de que a demanda está atingindo a fase crítica, onde há risco acentuado de crise no abastecimento de gás medicinal oxigênio".

O que diz o governo

Em vídeo publicado nas redes sociais, o secretário estadual de Saúde, André Longo, disse que não há falta de oxigênio nas 66 unidades de saúde do governo de Pernambuco. Ele falou que houve uma reunião com empresas do setor e que elas garantiram que a produção e o abastecimento do gás hospitalar no território estadual está assegurado.


Por meio de nota, a Secretaria Estadual de Saúde informou que a Central de Regulação Hospitalar encaminha pacientes de unidades municipais de menor porte, que relatam dificuldade de abastecimento, para serviços de referência da rede estadual.


O governo acrescentou que começou a enviar 149 concentradores de oxigênio para cidades pernambucanas para auxiliar os gestores municipais na assistência à Covid-19. "Ao todo, 44 cidades estão recebendo os equipamentos, que fornecem ar puro a partir do ar filtrado do ambiente, substituindo a necessidade de utilização dos cilindros de oxigênio", disse, no comunicado.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Veja também
© Todos os Direitos Reservados