Responsive Ad Slot

Últimas Notícias

latest

Em PE, Juiz aposentado que foi condenado por estelionato, corrupção e outros crimes é preso

11/07/2019

/ por casinhas agreste
Em 2007, André Rui de Andrade Albuquerque foi o primeiro magistrado a ser aposentado de forma compulsória da história do TJPE. Ele atuava em Jaboatão, no Grande Recife.

Por G1 PE
Juiz aposentado que já tinha sido condenado por corrupção e estelionato é preso
O juiz André Rui de Andrade Albuquerque, de 59 anos, foi preso nesta quarta-feira (10), após ser condenado pela Justiça de Pernambuco, em segunda instância, pelos crimes de estelionato, falsificação de documentos públicos e privados, corrupção e ocultação de bens. (Veja vídeo acima)

A prisão foi realizada pela Delegacia Interestadual e Capturas (Polinter), do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (Draco) da Polícia Civil.

Segundo a Polícia Civil, ele vendia sentenças e praticava fraudes, em conluio com advogados, oficiais de Justiça e empresários, quando atuava na 1ª Vara Cível de Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife.

André Rui foi o primeiro juiz a ser aposentado compulsoriamente (de forma obrigatória) pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), em 2007, depois de ser preso na Operação Mãos Dadas, do próprio tribunal com o Ministério Público de Pernambuco (MPPE).

Ele foi acusado de falsificar sentenças para facilitar um golpe de R$ 990 mil, em 2004, contra um aposentado que tinha a fortuna disputada por herdeiros.

Juiz André Rui de Andrade Albuquerque foi preso por falsificar sentenças, segundo a Polícia Civil — Foto: Reprodução/TV Globo Juiz André Rui de Andrade Albuquerque foi preso por falsificar sentenças, segundo a Polícia Civil — Foto: Reprodução/TV Globo
Juiz André Rui de Andrade Albuquerque foi preso por falsificar sentenças, segundo a Polícia Civil — Foto: Reprodução/TV Globo


A polícia não divulgou o local onde ele foi preso. Em um dos processos, André Rui respondia pelo crimes de estelionato, falsificação de documentos públicos e particulares, falsidade ideológica e corrupção passiva.

O G1 entrou em contato com o TJPE e com o MPPE para saber qual prazo de prisão foi determinado na sentença de condenação e aguarda resposta.

A reportagem também entrou em contato com a defesa de André Rui. O advogado João Olímpio Mendonça informou que, por se tratar de um processo que já dura mais de uma década, precisaria se inteirar do caso para poder se pronunciar.


Nenhum comentário

Postar um comentário

Veja também
© Todos os Direitos Reservados