Responsive Ad Slot

Últimas Notícias

latest

Policial é expulso da PM por integrar grupo criminoso voltado a jogos de azar

O Cabo da PM, preso durante a Operação Trevo (2014), teve a sua expulsão publicada no Diário Oficial do Estado nesta quarta-feira (5)

PM foi alvo da Operação Trevo, deflagrada pela PF em 2014 / Foto: Guga Matos/ JC Imagem
JC Online

Um cabo da Polícia Militar de Pernambuco foi expulso da corporação pela Secretaria de Defesa Social (SDS) em portaria publicada nesta quarta-feira (5) pelo Diário Oficial do Estado. O policial está preso desde quando foi alvo da Operação Trevo, deflagrada pela Polícia Federal em 2014.

Na época, o cabo foi acusado de ser proprietário de estabelecimentos de jogo de azar em diversos bairros do Recife. Segundo a portaria da SDS, Também foi comprovada a participação dele em um grupo criminoso que cuidava dos espaços e impedia a organização de ações da polícia nesses locais, deixando de exercer a prática do seu ofício como policial na repressão das práticas de jogos ilícitos.

A SDS informou que o policial feriu preceitos éticos impostos à corporação, já que o ele exercia atividade comercial e, mesmo de licença médica, estava presente em um pagode na época da operação da PF, quando foi chamado para ser ouvido em uma sindicância da PM.

Por isso, de acordo com informações divulgadas pela portaria, o cabo foi expulso por não demonstrar ter condições éticas de permanecer na Polícia Militar.



Operação Trevo
A Operação Trevo foi deflagrada pela Polícia Federal no dia 11 de novembro de 2014, quando desarticulou supostas organizações criminosas especializadas em fraudes com títulos de capitalização popular, jogos de azar, lavagem de dinheiro e crimes contra o sistema financeiro e a economia popular. Na ocasião, foram cumpridos diversos mandados de prisão, busca e apreensão, além de determinação de bloqueio de valores.

Leia Também
Justiça Federal em Pernambuco recebe denúncia contra 2º grupo da Operação Trevo
Treze denunciados na Operação Trevo
Operação Trevo: donos do Pernambuco dá Sorte continuam presos
Também durante a mesma operação, os donos do Pernambuco dá Sorte foram presos sob a acusação de comandarem o esquema, que alcançava 13 estados.

Na primeira fase da operação, diversos mandados de prisão e de busca e apreensão foram cumpridos, muitos deles no Recife. Altas quantias em dinheiro e artigos de luxo, como carros importados, foram encontrados e retidos pela PF.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Veja também
© Todos os Direitos Reservados