Responsive Ad Slot

Últimas Notícias

latest

Em Pernambuco "oposição rachada", DEM poderá ter candidatura própria a governo ou senado

11.6.21

/ por casinhas agreste

O ex-ministro e presidente estadual do Democratas, Mendonça Filho, defendeu o nome da correligionária e deputada estadual Priscila Krause para disputar o governo de Pernambuco ou o Senado Federal pela oposição em 2022. Apesar da legitimidade do partido em reivindicar uma vaga na chapa majoritária, nas coxias oposicionistas, a avaliação é que o democrata prestou um desserviço para a tão sonhada unidade do grupo, e emitiu um sinal que não tem muita simpatia pelas pré-candidaturas já oficialmente colocadas de Anderson Ferreira, Miguel Coelho e Raquel Lyra para o governo e de Armando Monteiro e Fernando Bezerra Coelho para o Senado.

O movimento de Mendonça remete ao que aconteceu em 2020, quando tanto ele quanto Daniel Coelho mantiveram suas pré-candidaturas a prefeitura do Recife até a definição dos nomes e no fim das contas a oposição se fragmentou em seis candidaturas, sofrendo uma derrota para PT e PSB já no primeiro turno. Não precisa ser expert em política para entender que quanto mais nomes forem levantados no já pequeno grupo da oposição, mais difícil será a construção da unidade, o que deixará sequelas para o processo eleitoral, ainda que exista um entendimento em torno de um único palanque na reta final.

O caminho da oposição é buscar uma convergência em torno daquele que reunir as melhores condições para governador, apresentar um nome para o Senado que tenha competitividade e a definição do vice ser destinada a um nome que possa não atrapalhar durante a campanha. O nome de Priscila, por exemplo, reúne tais condições para ser uma excelente opção para o cargo de vice, que neste momento não está em discussão no campo da oposição.

Além da definição dos nomes da chapa majoritária o quanto antes, sendo fiel ao ditado que quem é coxo parte cedo, a oposição precisa apresentar um projeto que encante o eleitorado pernambucano. Manter os projetos pessoais acima do conjunto de forças do grupo fará com que a autofagia vista em 2020 entre os próprios oposicionistas se repita em 2022 e seja determinante para um novo fracasso do grupo diante do PSB e da Frente Popular.

Emendas – O procurador-geral da República, Augusto Aras, opinou pela inconstitucionalidade de dispositivo na Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2021, que trata de emendas de bancadas estaduais impositivas. Para Aras, a transferência especial e impositiva de recursos da União para estados, Distrito Federal e municípios por meio das emendas de bancada é inconstitucional. Para o chefe do MPF, a Constituição Federal é expressa ao limitar transferências impositivas às emendas individuais. As emendas de bancada são importantes instrumentos para grandes projetos de infraestrutura nos estados.

Partidos – Concomitantemente aos debates sobre federação e “distritão”, que poderiam reduzir o número de legendas, continua grande a fila para criação de novos partidos políticos no Brasil. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), existem 78 pedidos pendentes em estágios do processo de formação. Atualmente, o Brasil tem 33 partidos aptos a lançar candidatos para disputar as eleições.

Inocente quer saber – A oposição repetirá 2020 e não chegará a um consenso na disputa do próximo ano?

Folha PE

Nenhum comentário

Postar um comentário

Veja também
© Todos os Direitos Reservados