Responsive Ad Slot

Últimas Notícias

latest

GADO BRAVO PB: Professora cobra da Prefeitura reajustes salarial do FUNDEB que não foi pago a 3 anos. Veja o vídeo

19/05/2020

/ por casinhas agreste
São três anos e nenhuma justificativa da Prefeitura sobre o reajuste salarial do Piso dos Professores de Gado Bravo, no Estado da Paraíba.
Uma  professora da Rede Municipal de Ensino de Gado Bravo no Estado da Paraíba, cobra da Prefeitura Municipal o pagamento do reajuste salarial do Piso dos professores da Educação básica do Município. O Prefeito do Município chama-se Paulo Monteiro (PSDB),  eleito com 2.525 votos no ano de 2016 e provavelmente vai concorrer a reeleição.  
O Piso salarial para o ano de 2020 é de R$ 2.886,24 ( Dois mil, oitocentos e oitenta e seis reais e vinte e quatro centavos), houve um aumento de 12, 84%. a mais do que o valor do ano  anterior. Esse é o maior aumento desde o ano de 2009. As informações dão conta que no Município de Gado Bravo o Plano de Cargos e carreiras do Professor não foi atualizado.
Para assistir o vídeo aperte o play 

Pelo menos 60% dos recursos do Fundeb devem ser usados na remuneração de professores, diretores e orientadores educacionais. O restante vai para despesas de manutenção e desenvolvimento do ensino, como o pagamento de outros profissionais ligados à educação, a compra de equipamentos e a construção de escolas.
"Quem segura na caneta para escrever, esse profissional, é que é a heroína, o herói da educação no Brasil". Disse o Ministro da Educação Abraham Weintraub. 
A Professora de nome Ruthiana Cordeiro, usou de um vídeo ao vivo no seu perfil na rede social para cobrar do Prefeito do Município o direito ao pagamento do Piso integral dos professores da rede Municipal de Ensino. De início a professora falou do ensino remoto que está sendo realizado durante este período de isolamento social ocasionado pelo coronavírus covid-19.
O repasse Federal está sendo negado, não temos nenhuma justificativa, e faz três anos que temos perca no nosso salário, nós temos direito ao reajuste desse piso. Nós temos uma perca de 23, 82% do nosso salário. E nada é justificado, nada é falado. Estou como professora primeiramente e segundo como representante do Sindicato dos professores do Município de Gado Bravo. Vamos a uma luta, a partir de agora, a luta e juntos somos mais fortes.A resposta da prefeitura". Disse.
O que diz a Prefeitura 
Segundo informações alegadas pela PMGB diz que o piso já está sendo pago, e os professores não têm o direito ao repasse federal. A professora ainda adiantou que o piso deve ser reajustado a cada ano, e que não ganha o teto salarial para não justificar o não pagamento:
Esse ano foi o de 12,84% mais uma vez foi negado, é impossível um negócio desse, infelizmente não têm uma justificativa para o professores". Disse a professora Ruthiana Cordeiro.
Aulas remotas durante período de isolamento social
Estamos num momento de cobrança maior, estamos trazendo a escola para dentro de nossas casas. Então vejam só: se o professor traz a escola para dentro de sua casa, ele têm um custo maior com recursos tecnológicos, sem o reajuste do salário infelizmente como é que eu vou ter um recurso tecnológico para melhor trabalhar com o meu aluno?. Infelizmente estou vivendo isso. A classe toda está vivendo isso, Nós temos que pagar a internet do nosso bolso, então gerou um custo maior. Estamos sufocados, porque não temos o reajuste salarial. Eu tenho que pagar a minha internet para poder dá aula". Disse.
 Estudo sobre a Lei do Piso salarial
O Parecer CNE/CEB nº 9/2009, que estabelece as Diretrizes para os Planos de
Carreira e Remuneração para o Magistério dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, enfatiza que a valorização profissional se dá na articulação de três elementos constitutivos: carreira, jornada e piso. Esse entendimento tem por objetivo garantir a educação como direito inalienável de todas as crianças, jovens e adultos, universalizando o acesso e a permanência com efetiva
aprendizagem na escola. Caracteriza um grande desafio para a educação brasileira a tão almejada qualidade social da Educação (Parecer CNE/CEB nº 7/2010, de Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica.
Nessa perspectiva, e com base na Constituição Federal e na LDB, apresentamos o presente estudo. Continue lento
O que diz o Ministério da Educação 
O piso salarial dos profissionais da rede pública da educação básica em início de carreira foi reajustado em 12,84% para 2020, passando de R$ 2.557,74 para R$ 2.886,24.  O reajuste foi anunciado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, e pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, em transmissão ao vivo pela internet, na noite desta quinta-feira, 16 de janeiro.
O acréscimo está previsto na chamada Lei do Piso (Lei 11.738), de 2008. O texto estabeleceu que o piso salarial dos professores do magistério é atualizado, anualmente, no mês de janeiro. A regra está em vigor desde 2009, ano em que o valor de R$ 950,00 foi o ponto de partida para o reajuste anual.
Cálculo - O Ministério da Educação (MEC) utiliza o crescimento do valor anual mínimo por aluno como base para o reajuste do piso dos professores. Dessa forma, é utilizada a variação observada nos dois exercícios imediatamente anteriores à data em que a atualização deve ocorrer.
O valor mínimo por aluno é estipulado com base em estimativas anuais das receitas do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Para 2019, o valor chegou a R$ 3.440,29, contra R$ 3.048,73 em 2018. Ouça o áudio abaixo


Nenhum comentário

Postar um comentário

Veja também
© Todos os Direitos Reservados