Responsive Ad Slot

Últimas Notícias

latest

Jovem é queimada com soda cáustica por ex-marido

05/07/2019

/ por casinhas agreste
Na noite desta sexta (5), um dos detidos pela agressão contra a mulher, na Zona Norte do Recife, teve a prisão confirmada e o outro foi liberado. Vítima está em estado grave no HR.
Por G1 PE
Jovem queimada com soda cáustica procurou a polícia e fez denúncias contra o ex-marido
A jovem de 19 anos que teve o rosto queimado por soda cáustica, no Recife, registrou três boletins de ocorrência contra o ex-companheiro, principal suspeito de provocar os ferimentos, segundo a Polícia Civil. Na noite desta sexta-feira (5), a delegada Bruna Falcão informou que, em 19 dias, Mayara Estefanny Araújo foi à polícia em três ocasiões para denunciar William César dos Santos Júnior, que está sendo procurado. (Veja vídeo acima)

O crime ocorreu na noite de quinta-feira (4), no Alto do Progresso, na Zona Norte do Recife. Horas depois, a polícia deteve dois suspeitos de participar da agressão, que deixou Mayara em estado gravíssimo. Ela está internada no Hospital da Restauração (HR), no Centro do Recife.

Mayara Estefanny teve rosto queimado com soda cáustica e ex-marido é principal suspeito — Foto: Reprodução/TV Globo  Mayara Estefanny teve rosto queimado com soda cáustica e ex-marido é principal suspeito — Foto: Reprodução/TV Globo 
Mayara Estefanny teve rosto queimado com soda cáustica e ex-marido é principal suspeito — Foto: Reprodução/TV Globo

Na noite desta sexta, a polícia informou que Paulo Henrique Vieira dos Santos teve a prisão confirmada. Segundo testemunhas, ele segurou a vítima para que o agressor jogasse o produto químico na jovem. Outro homem detido foi liberado por não ter relação com o crime.

Paulo Henrique foi autuado em flagrante por lesão corporal grave e resistência. Segundo a polícia, ele tem passagem pelo sistema criminal e já chegou a ser monitorado com tornozeleira eletrônica.

Ainda de acordo com a polícia, ele vai passar a noite na Delegacia da Mulher, em Santo Amaro. Na manhã de sábado (6), segue para a audiência de custodia. A polícia pede ajuda para encontrar William. Quem tiver informações deve ligar para o Disque-Denúncia, pelo telefone (81) 3421.9595 ou (81) 3719.4545, este último disponível para o Agreste e interior.

Suspeito de segurar vítima que teve rosto queimado por soda cáustica é levado à Delegacia da Mulher de Santo Amaro, no Centro do Recife — Foto: Reprodução/TV Globo Suspeito de segurar vítima que teve rosto queimado por soda cáustica é levado à Delegacia da Mulher de Santo Amaro, no Centro do Recife — Foto: Reprodução/TV Globo
Suspeito de segurar vítima que teve rosto queimado por soda cáustica é levado à Delegacia da Mulher de Santo Amaro, no Centro do Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

Denúncias
A delegada informou que o primeiro boletim de ocorrência contra o ex-companheiro foi registrado por Mayara no dia 13 de maio. O segundo, em 23 do mesmo mês e o terceiro, no dia 1º de junho. Desde o primeiro registro, a Polícia Civil conseguiu na Justiça a concessão de medidas protetivas contra William.

A polícia justifica que elas só passaram a vigorar no dia 5 de junho porque o agressor não era encontrado para intimação. William tem passagem pela polícia pelo crime de estelionato.


Segundo Bruna Falcão, a família disse que William se escondia, justamente para não ser intimado. No dia 5 de junho, ele foi finalmente informado de que não poderia mais se aproximar de Mayara, nem ligar para o telefone dela ou frequentar sua casa.

"Depois disso, a primeira agressão que ocorreu foi a da quinta-feira. Isso não deve ser um desestímulo para as mulheres vítimas de violência, porque esse foi um ponto fora da curva”, diz a delegada Bruna Falcão.
Jovem de 19 anos é internada em estado grave após agressão do ex-marido

A delegada disse, ainda, que a polícia chegou ao suspeito de ajudar na agressão a partir da prisão do outro homem, o que foi liberado. Bruna Falcão afirmou que ele apontou que Paulo Henrique tinha relação com o caso. (Veja vídeo acima)

"Ele veio espontaneamente e disse que não havia sido ele, mas apontou que Paulo teria ajudado na agressão. Levantamos informações e verificamos que o fato era verdadeiro. Foi aí que prendemos o segundo suspeito", disse.

A delegada observou que Paulo negou o crime. "Ele disse que tinha acompanhado William naquela noite, que os dois teriam ido fumar maconha num terreno baldio e que, na sequência, William teria ido lá jogar o produto e ele, Paulo, saiu correndo, assustado. Mas testemunhas dizem que foi ele quem segurou Mayara”, declarou a policial.


A delegada disse, ainda, que familiares informaram que William pretende se entregar à polícia. "Disseram que ele foi orientado juridicamente a se apresentar na segunda-feira [8 de julho], para livrar o flagrante", disse Bruna.

Delegada Bruna Falcão detalhou cas queixas que a vítima de agressão com soda cáustica fez contra o ex-marido — Foto: Pedro Alves/G1 Delegada Bruna Falcão detalhou cas queixas que a vítima de agressão com soda cáustica fez contra o ex-marido — Foto: Pedro Alves/G1
Delegada Bruna Falcão detalhou cas queixas que a vítima de agressão com soda cáustica fez contra o ex-marido — Foto: Pedro Alves/G1

Motivação
Nesta sexta-feira (5), a Polícia Civil ouviu a família de Mayara, dos suspeitos detidos e da mãe de William, que, segundo a delegada, se apresentou à delegacia espontaneamente.

Segundo a delegada, Paulo Henrique informou à polícia que Willian teria cometido o crime porque Mayara estaria impedindo o acesso do ex-companheiro ao filho deles, de 2 anos. A informação foi negada pelas testemunhas.

“A família informou que ela não restringia o acesso à criança. A mãe dele esteve aqui e se emocionou muito durante a oitiva. Mesmo dolorida, ela pediu que se faça justiça sobre esse caso”, afirma a delegada.

Revolta
Na localidade onde Mayara mora e foi agredida, o sentimento de indignação é compartilhado por parentes e vizinhos.

Uma vizinha da vítima que preferiu não se identificar afirmou ter visto o momento em que Mayara teve o rosto atingido por soda cáustica e que sabia que a vítima vivia um relacionamento abusivo.

A irmã da vítima, uma adolescente de 17 anos, contou que Mayara tinha um relacionamento difícil com William. Segundo a jovem, o homem teria dito que, se a irmã dela ela não morresse agora, ele mataria ela de todo jeito, porque não aceitava a separação.


Mulher tem rosto queimado por soda cáustica; suspeito é ex-companheiro

A agressão
O caso ocorreu na saída da casa onde Mayara mora com o filho de 2 anos, no Alto do Progresso, Zona Norte do Recife. Ela, que trabalha como atendente em uma rede de lanchonete, foi levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Nova Descoberta antes de ser transferida para o Hospital da Restauração. (Veja vídeo acima)

Segundo o HR, a jovem teve 35% do corpo queimado e, mesmo em estado gravíssimo, está estável respira com a ajuda de aparelho. De acordo com a irmã da vítima, o hospital informou à família que Mayara tem 90% de chance de perder a visão dos dois olhos. A assessoria da unidade não confirma o percentual, mas alega que há possibilidade de cegueira devido ao contato com a soda cáustica.

Violência doméstica
De acordo com a Secretaria de Defesa Social de Pernambuco, os crimes de feminicídio, cometidos exclusivamente por questões de gênero, apresentaram uma queda de 11,5% de janeiro a maio de 2019, quando houve 23 ocorrências, em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram registrados 26 casos.

Os números de violência contra a mulher, no entanto, apresentam aumento. Isso, segundo a SDS, reflete a alta na procura de atendimento das vítimas das agressões. Entre janeiro e maio de 2019, foram registradas 17.710 queixas de violência doméstica, 8% a mais do que as notificações no mesmo período de 2018.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Veja também
© Todos os Direitos Reservados