Responsive Ad Slot

 


Últimas Notícias

latest

Mulher de 82 anos com esquema vacinal completo morre após contrair subvariante da ômicron; PE confirma 1º caso da BA.2

1.4.22

/ por casinhas agreste

Governo informou, nesta quinta (31), que a paciente morava no Recife e morreu em fevereiro. Dados foram registrados em novo sequenciamento genético.

Foi divulgado o sequenciamento genético de novas 212 amostras positivas para a Covid-19 — Foto: Miva Filho/SES-PE

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) confirmou, nesta quinta (31), o primeiro caso da subvariante BA.2 da ômicron, linhagem da Covid-19 predominante no estado. A paciente, de 82 anos e com histórico de outras doenças, morreu, mesmo com o esquema vacinal completo, segundo o governo.
A paciente, informou o governo, teve a amostra coletada em 4 de fevereiro. O prontuário médico apontava registros de doença de Alzheimer, hipertensão, diabetes e doença de Parkinson.

Os sintomas surgiram em 28 de janeiro e a paciente foi atendida em uma unidade básica do Recife, onde morava.
Integrante do considerado grupo de risco para complicações de Covid, a paciente piorou e foi transferida para o Hospital Maria Lucinda, onde morreu em 20 de fevereiro.

Ainda de acordo com o governo, a amostra positiva foi detectada no mais recente sequenciamento genético feito pelo Instituto Aggeu Magalhães (IAM/FiocruzPE). O resultado da análise saiu nesta quinta.

Segundo o levantamento, dos 54 genomas analisados, todos (100%) foram identificados como da linhagem ômicron (BA.1; BA.1.1; BA.2). As coletas foram realizadas entre o início de fevereiro e a primeira quinzena de março.

De acordo com levantamento da Fiocruz, outros seis estados têm casos confirmados desta sublinhagem: Ceará, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo.

Por meio de nota, o secretário de Saúde, André Longo, afirmou que, mesmo com as vacinas, a população está suscetível a casos graves da doença, principalmente os mais vulneráveis, como os idosos e os pacientes com comorbidades.

Longo afirmou também que a detecção da BA.2 em Pernambuco reacende o alerta da importância da vacinação para enfrentar a pandemia.

As 54 amostras analisadas neste último sequenciamento foram de pacientes residentes nas seguintes cidades: Afogados da Ingazeira (1), Afrânio (1), Araripina (1), Belém de São Francisco (1), Cabrobó (2), Caruaru (8), Casinhas (1), Dormentes (1) Garanhuns (1), Iati (1), Jaboatão dos Guararapes (2), Olinda (2), Orocó (3), Paulista (1), Petrolina (13), Recife (10), São Bento do Una (1), São José do Egito (1), Vitória de Santo Antão (1), além de pacientes provenientes dos estados de Alagoas (1) e Rio Grande do Sul (1).


O que é a variante?
A BA.2 às vezes é chamada de subvariante "furtiva", porque não possui o marcador genético que os pesquisadores estavam usando para identificar rapidamente se uma infecção era um caso de ômicron "regular" (BA.1 ) ou de delta.

Tal como acontece com outras variantes, uma infecção por BA.2 pode ser detectada por testes PCR e antígeno, mas eles só indicam se o caso é positivo ou negativo para Covid - não conseguem distinguir as variantes. Para isso, são necessárias mais verificações.

A BA-2 parece ser mais transmissível do que as variantes anteriores, mas, felizmente, nenhum dado até o momento sugere que seja mais grave.

Boletim
Nesta quinta, o governo confirmou mais 1.411 casos da Covid-19. Entre eles, 15, ou 1% do total, são de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e 1.396 (98%) são leves.

Com isso, Pernambuco totalizou 897.626 casos confirmados da doença, sendo 58.319 graves e 839.307 leves. Os casos estão distribuídos por todos os 184 municípios pernambucanos, além do arquipélago de Fernando de Noronha.

Mortes
O boletim também confirmou outras 11 mortes por Covid. Foram sete mulheres s quatro homens. Esses óbitos ocorreram entre os dias 25 de abril de 2021 e 25 de março de 2022.


Esses pacientes moravam em Afogados da Ingazeira (1), Araripina (1), Ibimirim (1), Nazaré da Mata (1), Olinda (2) e Recife (5). Com isso, o Estado totaliza 21.411 mortes pela Covid-19.

Os pacientes tinham entre 42 e 96 anos. As faixas etárias são: 40 a 49 (2), 50 a 59 (1), 70 a 79 (3) e 80 e mais (5). Do total, oito pacientes tinham doenças preexistentes: doença cardiovascular (5), diabetes (2), doença renal (2), doença hematológica (1), histórico de AVC (1), neoplasia (1) e tabagismo/histórico de tabagismo (1).

Um paciente pode ter mais de uma comorbidade. Os demais seguem em investigação.

Vacinação
Desde 18 de janeiro de 2021, Pernambuco aplicou 18.009.238 doses de vacinas contra a Covid.

Com relação às primeiras doses, foram 8.083.288 aplicações. A cobertura chegou a 91,08% do público elegível.

Do total, 6.967.547 pessoas, ou 78,51% do público elegível, completaram seus esquemas vacinais.

Foram 6.794.421 vacinadas com imunizantes aplicados em duas doses e outras 173.126 contempladas com vacina aplicada em dose única.

Em relação às primeiras doses de reforço, foram aplicadas 2.951.079 unidades. A cobertura chegou a 44,68% do público elegível. Com relação à 4ª dose, foram aplicadas 7.324 unidades. A cobertura chegou a 1% do público elegível.


Leitos
Nesta quinta, a taxa global de ocupação de leitos para Covid na rede pública de Pernambuco ficou em 37%, de um total de 2.013 vagas.

Nas UTIs, havia 982 unidades abertas e 43% delas estavam com doentes. Nas enfermarias, eram 1.031 unidades e a taxa de ocupação delas ficou em 31%

Na rede particular, a taxa global de ocupação de leitos para Covid era de 30%, de um total de 240 vagas.

Nas UTIs, eram 149 leitos e 44% deles estavam ocupados. Nas enfermarias, havia 91 leitos e 8% deles estavam ocupados.

Testes
Desde março de 2020, quando começou a pandemia em Pernambuco, o estado realizou 3.773.927 testes para detectar Covid.

Nesta quinta, o Recife começou a desmontar parte dos leitos de observação e sala vermelha da rede municipal voltados para o atendimento de pacientes com suspeita ou confirmação de covid-19 (veja vídeo acima).

A desativação está sendo feita nas Policlínicas Agamenon Magalhães, em Afogados; Barros Lima, em Casa Amarela; Arnaldo Marques, no Ibura; e Amaury Coutinho, na Campina do Barreto.

Com isso, segundo a prefeitura, será possível redirecionar as equipes e ampliar os atendimentos ambulatoriais nas unidades.

“A decisão foi possível graças à queda dos indicadores da pandemia de covid-19, ao amplo processo de vacinação na cidade e à redução na procura por atendimentos deste tipo”, disse a administração municipal.

G1 PE

Nenhum comentário

Postar um comentário

DIVULGAÇÃO

 


Veja também
© Todos os Direitos Reservados