Responsive Ad Slot

 


Últimas Notícias

latest

Pernambuco proíbe todas as festividades durante o carnaval

8.2.22

/ por casinhas agreste

Pernambuco cancela festas de carnaval e proíbe qualquer tipo de evento entre os dias 25 de fevereiro e 1º de março
Proibição vale para espaços públicos e privados em todo o estado, entre a sexta-feira pré-carnavalesca e a Terça-feira Gorda. Anúncio foi feito pelo governo estadual nesta terça (8).

O governo de Pernambuco confirmou, nesta terça (8), o cancelamento de festas de carnaval, em todo o estado, e proibiu a realização de eventos de qualquer tipo entre os dias 25 de fevereiro e 1º de março, a sexta pré-carnavalesca e a Terça-Feira Gorda, respectivamente. A proibição vale para espaços públicos e privados.

"Nosso objetivo é desestimular situações que possam gerar aumento da contaminação”, declarou o secretário estadual de Saúde André Longo, que apresentou números atualizados sobre a Covid-19 em Pernambuco.
Ele concedeu uma entrevista coletiva, no Palácio do Campo das Princesas, sede do governo estadual, no Centro do Recife, um dia após o governo anunciar a suspensão do ponto facultativo para servidores no período que seria de folia e mudanças nas restrições devido à pandemia.

Questionada pelo g1 após a coletiva, o governo de Pernambuco explicou que as determinações anunciadas nesta terça-feira (8) prevalecem diante do decreto anunciado no dia anterior, já que se refere ao período específico do carnaval.

"Lamentamos, por mais um ano, o cancelamento da festa de carnaval, que está na alma e no coração dos pernambucanos. Mas o nosso compromisso precisa ser, neste momento, prioritariamente, com a vida e com a saúde das pessoas", disse André Longo.
O secretário afirmou que vai solicitar a participação das prefeituras em fiscalizações para evitar aglomerações. "Vamos nos reunir com prefeitos dos principais polos para reiterar a importância das gestões municipais para também ampliarem a fiscalização também nos espaços públicos e privados”, declarou.

Ainda de acordo com o governo estadual, um levantamento da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) apontou que Pernambuco está entre os “estados com menor número de mortes pela Covid-19, quando comparado proporcionalmente à nossa população”.

“Mas só abrir leitos e adotar medidas restritivas não será suficiente para diminuirmos a aceleração viral e as contaminações. É preciso a compreensão, a sensibilidade e a adesão de toda a sociedade”, destacou Longo.

Ponto facultativo
O novo protocolo prevê a a liberação de eventos fechados com até 500 pessoas. Também estão autorizadas, fora do período carnavalesco, festas em ambientes fechados com até 300 participantes. Até a quarta (9), estão em vigor as regras, que permitem público de até 3 mil participantes.

Com as novas restrições, que valem até 1º de março, os eventos devem exigir comprovação de vacinação e apresentação de teste negativo. Essa norma é válida para reuniões com mais de 300 pessoas, incluindo circos, cinemas, teatros e jogos de futebol.

Dados
Na média das duas últimas semanas, 44% dos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) registrados em Pernambuco deram positivo para Covid-19. Isso é equivalente a um aumento de mais de 500%, na comparação com a perimira semana de janeiro de 2022. Além disso, houve, em duas semanas, um aumento de 157% na quantidade de mortes provocadas pela doença

André Longo afirmou que na Semana Epidemiológica, 5, encerrada no sábado (5), foram registradas 59 mortes por Covid. O secretário ressaltou que esses podem ainda ser dados preliminares.

Também por causa da aceleração da doença, a quantidade de leitos de UTIs ocupados no estado é, atualmente, 11 % maior do que há 15 dias. Longo afirmou que os pedidos de UTI permanecem em patamar de mais de 650, por semana. “Temos mais de 900 pacientes internados nas vagas de UTI", disse.

“Há um aumento nos casos de Srag por Covid, inclusive, interrompendo uma tendência de queda nos casos de Srag geral. Ao todo, foram 890 registros nesta semana, um aumento de 6% na comparação com a semana 4 [encerrada no fim de janeiro de 2022]”, observou.

Vacinação
Na coletiva, Longo falou sobre um levantamento sobre as mortes e vacinação contra a Covid. " Um levantamento que fizemos aponta que 79,4% das mortes pela Covid-19 foram em pacientes que não estavam totalmente imunizados, ou seja, já estavam atrasados com a terceira dose", disse.

Além disso, afirmou o gestor, entre os que morreram, mesmo estando totalmente vacinados, 85% eram idosos e também tinham, comprovadamente, graves doenças pré-existentes. Os demais ainda estão sendo investigados.

Entre os pacientes com exame positivo internados nos leitos da rede pública, 83% não estavam totalmente imunizados, conforme André Longo.

"Esses dados comprovam que as vacinas evitam casos graves e óbitos e ratificam a necessidade de estarmos em dia com todas as doses disponíveis", declarou.

G1 PE

Nenhum comentário

Postar um comentário

DIVULGAÇÃO

 


Veja também
© Todos os Direitos Reservados