Responsive Ad Slot

Últimas Notícias

latest

Petroleiros protestam contra demissões em massa em Abreu e Lima

17/01/2020

/ por casinhas agreste
Segundo o Sindicato dos Petroleiros dos Estados de Pernambuco e da Paraíba, os trabalhadores de todas as empresas subsidiadas à estatal estão correndo riscos de demissão

Portal FolhaPE

Os trabalhadores da Refinaria de Abreu e Lima realizam, na manhã desta sexta-feira (17), um ato contra a demissão de mais de 900 trabalhadores da Petrobras na Araucária Nitrogenados S/A (Ansa), empresa de produção de fertilizantes localizada no Paraná. Segundo o Sindicato dos Petroleiros dos Estados de Pernambuco e da Paraíba (Sindipetro PE/PB), os trabalhadores de todas as empresas subsidiadas à estatal estão correndo riscos de demissão.

O ato, agendado para ocorrer em frente à Refinaria e nas proximidades do Terminal Aquaviário de Suape, no Cabo de Santo Agostinho, na Região Metropolitana do Recife, deve contar com ações de panfletagem, nas quais os manifestantes farão intervenções em ônibus e nas vias públicas. 

Leia também:
Chefe de agência reguladora do petróleo renuncia ao cargo
Petrobras reduz preço da gasolina e diesel nas refinarias

"Entendemos que há um movimento de demissão em massa no sistema Petrobras que está afetando tanto os trabalhadores diretos quanto os terceirizados. No cenário estadual, o sindicato afirma que a possível privatização da refinaria deve implicar também em demissões", explica Sinésio Pontes, diretor de comunicação do SINDIPETRO-PE/PB.

Em nota, a Federação Única dos Petroleiros (FUP) afirma que “as demissões em massa anunciadas pela direção da Petrobras descumprem o Acordo Coletivo de Trabalho, pactuado em novembro com as representações sindicais através da mediação do Tribunal Superior do Trabalho, e o Acordo assinado no dia 17 de dezembro com o Ministério Público do Trabalho (MPT)”.

De acordo com a Petrobras, a Ansa "vem apresentando recorrentes prejuízos desde que foi adquirida em 2013". Em 2013, a empresa foi adquirida da Vale Fertilizantes S/A.

A empresa garante que os trabalhadores desligados "receberão, além das verbas rescisórias legais, um pacote adicional composto de valor monetário entre R$ 50 mil e R$ 200 mil, proporcional à remuneração e ao tempo trabalhado; manutenção de plano médico e odontológico, benefício farmácia e auxílio educacional por até 24 meses, além de uma assessoria especializada de recolocação profissional".


Nenhum comentário

Postar um comentário

Veja também
© Todos os Direitos Reservados