Responsive Ad Slot

Últimas Notícias

latest

Mulher é acusada de matar a própria filha de dez meses com disparo de arma de fogo em Toritama, PE

06/09/2019

/ por casinhas agreste
Blog Agreste Notícias com Jornal do Comércio Interior 

Uma tragédia aconteceu no início da noite desta quinta-feira (05) na Rua Pai e Filho no bairro Novo Alvorecer em Toritama, Agreste Setentrional de Pernambuco. Segundo informações, a acusada identificada apenas como Priscila matou a própria filha Ágata Barbosa Ferreira de 10 meses de vida, através de disparos de arma de fogo.
 Ainda de acordo com as informações, a vítima foi atingida por pelo menos dois tiros na cabeça e morreu no local, antes mesmo de receber qualquer tipo de socorro.
 Populares afirmam que, Priscila estaria sofrendo de depressão pós-parto e passou alguns dias desaparecida. Ela fugiu com o marido após o crime.
Por volta das 20h50, integrantes do Batalhão Especializado de Policiamento do Interior (BEPI) e Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas (Rocam) estavam no local e a chegada do delegado e dos peritos do Instituto de Criminalística (IC) era aguardada. 
De acordo com informações iniciais repassadas à TV Jornal Interior, antes do crime, a mulher teria passado dois dias fora de casa e estaria sofrendo de depressão. Havia marca de tiro em uma das paredes da casa e várias fotos cortadas da criança no quarto. Após a morte, a mãe e o pai da vítima teriam fugido em uma motocicleta.

Foi apresentado durante a noite desta quinta-feira (06) na Delegacia de Plantão em Santa Cruz do Capibaribe, Agreste Setentrional de Pernambuco, o casal Priscila Maria Barbosa e Wagner Ferreira Costa, pais da bebê Ágata Barbosa Ferreira, de 10 meses de vida, assassinada no início da noite, na Rua Pai e Filho no bairro Novo Alvorecer em Toritama, também no Agreste Setentrional.
 Segundo informações, a Priscila sofre de depressão pós-parto e efetuou o disparo que atingiu a cabeça da garotinha que morreu no local antes mesmo de receber qualquer tipo de socorro. Após o crime, o casal fugiu, mas foi capturado minutos depois, por policiais do 24º BPM – Batalhão da Polícia Militar – e do Batalhão Especializado de Policiamento do Interior (BEPI).
Com os envolvidos foram apreendidos 109 pinos de cocaína, duas porções de maconha, uma balança de precisão e um revólver calibre 38 com cinco munições intactas, que teria sido utilizado no crime de morte que chocou o Estado.
 Na Delegacia de Plantão, o Pai de Ágata confessou que traficava drogas e alegou ter comprado a arma de fogo pela internet. Ele afirma que a esposa teria atirado contra a vítima, porém, o crime será investigado pela Polícia Civil que realizou o levantamento cadavérico juntamente com o IC – Instituto de Criminalística.
 O corpo de Ágata foi encaminhado para o Instituto de Medicina Legal da cidade de Caruaru, também no Agreste

Nenhum comentário

Postar um comentário

Veja também
© Todos os Direitos Reservados