Responsive Ad Slot

Últimas Notícias

latest

Confira 10 perguntas e respostas sobre mudanças no crédito rotativo

Mudanças serão implementadas a partir do dia 3 de abril, segundo o CMN
Cada banco fez suas regras para o rotativo / Foto: Fernanda Carvalho/Fotos Públicas
Cada banco fez suas regras para o rotativo

JC Online

As regras do crédito rotativo vão mudar em abril. A partir do dia 3, ninguém poderá ficar com dívidas por mais de 30 dias no cartão de crédito. Os bancos já anunciaram as novas regras para atender à resolução nº 4.549 do Conselho Monetário Nacional (CMN). O consumidor poderá escolher modalidades alternativas para pagar as dívidas, como o parcelamento. Confira 10 perguntas e respostas sobre as mudanças.    

1 - Como é o rotativo hoje?

O rotativo é acionado quando o consumidor paga qualquer valor entre o mínimo e o total da fatura. Como os juros cobrados são elevados, na ordem de 500% ao ano, o risco de endividamento é alto.

 

2 - Como vai funcionar?

O Conselho Monetário Nacional (CMN) determinou que, a partir de 3 de abril, o uso do rotativo será limitado a apenas 30 dias. Passado esse período, o banco deverá migrar o consumidor para a linha de parcelado do cartão de crédito, que possui juros menores.

 

3 - Como será a migração?

Cada banco escolheu uma maneira para acionar o parcelamento do saldo em atraso. No Banco do Brasil e no Itaú Unibanco, os clientes terão de saldar todo o valor do rotativo, acrescido de novos gastos, se houver, ou parcelar.

 

4 - E nos demais bancos?

No Santander e no Bradesco, é possível quitar apenas parte do que é devido (15%), e o restante será dividido em prestações fixas a partir do mês seguinte. O Santander ainda permite pagar só a cifra pendente no rotativo e jogar para a próxima fatura os novos gastos daquele mês.

 

5 - Como será o uso do rotativo na Caixa Econômica Federal?

O banco estatal ainda está definindo como será o seu sistema, mas promete estar de acordo com o novo regulamento até o prazo definido pelo CMN.

 

6 - É possível fazer múltiplos parcelamentos?

Sim. Cada nova operação, contudo, compromete o limite do cliente

 

7 - Quais são os efeitos práticos da medida?

Os juros cobrados no parcelamento do cartão são menores do que os do rotativo. Outra mudança importante é que o valor mínimo das faturas vai crescer a partir de agora. Isso porque nesta cobrança será incluída uma parte ou todo o saldo do rotativo, a depender do banco.

 

8 - Por que cada banco escolheu um método?

O CMN delimitou apenas linhas gerais da nova regra.

 

9 - Quais são os riscos?

Para o Idec, falta clareza sobre como será aplicada a regra, o que pode prejudicar o entendimento do consumidor e reproduzir no crédito parcelado a mesma dinâmica do rotativo.

 

10 - Quando os juros deverão cair?

Empresas de cartões preveem queda da taxa do rotativo a partir de abril.
BANCOS

Atualmente, os juros do rotativo, a linha de crédito mais cara, giram em torno de 15% ao mês e 486,7% ao ano. Enquanto o parcelamento fica em torno de 8,35% ao mês e 161,9% ao ano. Os dados são do Banco Central referentes a janeiro último.

Leia Também

    Novas regras do rotativo do cartão podem elevar pagamento mínimo
    Confira as taxas de juros dos bancos para novas regras do rotativo
    Itaú Unibanco reduz taxa do rotativo em média 4 pontos porcentuais
    Taxa para opção ao rotativo do cartão deve ficar mais alta

A entrada no rotativo acontece quando o cliente paga o valor mínimo. A fatura no mês seguinte traz o saldo devedor, as taxas do rotativo e os novos gastos do mês. Agora, se o cliente não abater a dívida, alguns bancos vão parcelar automaticamente o valor.

É o caso do Banco do Brasil. Se o cliente não escolher uma modalidade, a dívida será parcelada em 24 vezes com juros que vão de 3,13% a 9,38%. O mesmo ocorre no Santander, em que os valores variam entre 2,99% a 9,99% ao mês, com possibilidade de parcelamento em até 18 vezes. O valor mínimo da fatura será composto pelo percentual de 15% sobre os novos gastos e as parcelas de financiamentos de faturas anteriores.

Já o Itaú oferece outras possibilidades, como financiar a dívida. O cliente dá um valor de entrada e parcela o resto em 12 vezes. As taxas começam em 0,99% e vão até 8,9% ao mês. É possível dividir em até 24 parcelas. O Bradesco oferece taxas de 3,60% e 9,80% ao mês e parcelamento em até 12 vezes. O Itaú baixou o valor do rotativo, que ficou de 1,99% a 9,90% a.m.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Veja também
© Todos os Direitos Reservados