DÊ A NOTA

DÊ  A NOTA

09/06/13

"A política está suja porque os cristãos não se meteram nela com espírito evangélico", afirma Papa Francisco

Da redação: 
redacaocasinhasagreste@bol.com.br

Em conferência realizada na Itália, o Papa Francisco declarou, em resposta a questionamento de um jesuíta, que "Envolver-se na política é uma obrigação para um cristão". Continuou: "Nós, os cristãos, não podemos fazer de Pilatos e lavar as mãos, não podemos", sendo aplaudido pela plateia de fieis.

Papa Francisco. Imagem: Divulgação/Gospel Mais

Justificou: "Temos de nos meter na política, porque a política é uma das formas mais altas de caridade porque busca o bem comum". Sugeriu, justificando: "Os leigos cristãos devem trabalhar na política. A política está muito suja, mas eu pergunto: Por quê? Porque os cristãos não se meteram nela com o espírito evangélico. É a pergunta que eu faço. É fácil dizer que a culpa é dos outros. Mas eu, o que faço? 
É um dever dos cristãos, trabalhar para o bem comum é um dever dos cristãos".

O Papa respondeu, também, a perguntas de crianças sobre o seu passado, seu relacionamento com amigos de infância, as razões de sua renúncia a "riquezas e luxos", sobre se quis ser nomeado para ser Papa, entre outros.

O que você pensa desta declaração? É errôneo imiscuir religiosidade e política, pois isto afeta o Estado Laico e pode dar ensejo a discriminações a outras religiões ou isto é necessário e pode ser bem visto e aprovável?

 É aprovável, inclusive por não-religiosos, a mescla de religiosidade e política, tendo em vista um possível apreço, por parte dos cristãos, por valores ou isto se trata de uma deformação da realidade?

Opine e contribua para o diálogo democrático.

Lígia Ferreira é analista de sócio-mecanismos.

Fonte: Folha Política

www.casinhasagreste.com.br
Casinhas Agreste

0 comentários:

Postar um comentário

Casinhas-PE

Montagem criada Bloggif

Curta notícias

 
Casinhas PE Casinhas Agreste - Notícias do Agreste | Layout: Lenildo Ferreira Consultoria em Comunicação Contato © Blog de responsabilidade do professor Edmilson Arruda