Responsive Ad Slot

 


Últimas Notícias

latest

Palmeiras massacra o São Paulo por 4 a 0 e conquista o paulista

3.4.22

/ por casinhas agreste
        Palmeiras dá show, goleia o São Paulo por 4 a 0 e conquista o 24º Paulistão da história
        Insaciável, o Palmeiras reverteu desvantagem e não deu sossego ao rival em partida neste domingo, 3, no Allianz Parque

        Quatro gols deram ao Palmeiras o título do Campeonato Paulista de 2022. O Verdão levou a melhor sobre o São Paulo neste domingo, 3, no Allianz Parque, e conquistou o 24º Paulistão da sua história.

        A primeira oportunidade foi do São Paulo, aos 2 minutos do primeiro tempo. Alisson finalizou com o pé direito de fora da área, mas não conseguiu marcar.

        Aos 13 minutos, foi a vez de Gustavo Scarpa perder a chance de abrir o placar para o Palmeiras. Mas Danilo, aos 22 minutos, não teve dó dos tricolores e de cabeça colocou a bola no canto inferior esquerdo da rede.

        Zé Rafael foi o autor do segundo gol do Palmeiras, pouco tempo depois aos 28 minutos. A finalização certeira do atleta precisou de validação do VAR para contar a vantagem para o Verdão. 

        Palmeiras insaciável 
        Os jogadores mal haviam aquecido as chuteiras no segundo tempo e Raphael Veiga ampliou a distância para o Palmeiras. Com assistência de Dudu e finalização com pé esquerdo, o Palestra fez 3 a 0 sobre o São Paulo.

        Palmeiras x São Paulo pela final do Paulistão 2022
        Gustavo Gómez levou cartão amarelo por marcar falta em Jonathan Calleri. Léo até tentou diminuir a vantagem, mas perdeu a chance de abrir o placar para o São Paulo. O que ficou para o tricolor foi um cartão amarelo para Luan.

        Insaciável, o Palmeiras não deu sossego ao rival e fez o quarto gol aos 36 minutos do segundo tempo. Raphael Veiga mais uma vez deu o nome: com assistência de Gabriel Veron, finalizou com o pé esquerdo no lado direito do gol. A celebração rendeu um cartão amarelo.
        Quem também levou cartão do lado do Verdão foi Zé Rafael, por entrada perigosa, logo depois de ter sofrido falta cometida por Luciano no campo do São Paulo - o tricolor também levou cartão.

      “O Palmeiras é o time da virada”, cantou a torcida alviverde nos dias que antecederam a segunda partida da final do Campeonato Paulista. E os jogadores escutaram. Após derrota por 3 a 1 no Morumbi, o Verdão reagiu, goleou o São Paulo por 4 a 0 na tarde deste domingo, no Allianz Parque, e conquistou o título estadual. Danilo e Zé Rafael abriram o placar no primeiro tempo. Raphael Veiga, com dois gols, fechou o placar na etapa final. Rafinha, do São Paulo, foi expulso quase no fim de um jogo desastroso para os tricolores.

      Os caras do jogo
      Dudu atormentou, Raphael Veiga decidiu. A dupla confirmou aquilo que o torcedor do Palmeiras está cansado de saber: ela comanda a inteligência ofensiva do time. O camisa 7 infernizou a marcação, desnorteou o lado esquerdo da defesa são-paulina, fez uma jogadaça no terceiro gol. E Raphael Veiga, como de costume, foi determinante. Ele marcou o terceiro e o quarto gols do Palmeiras, assegurando o placar necessário para a virada – e, consequentemente, o título.

      Raphael Veiga festeja gol do Palmeiras contra o São Paulo
      Raphael Veiga festeja gol do Palmeiras contra o São Paulo (Foto: Ettore Chiereguini/AGIF)

      VAR I
      O jogo teve a primeira polêmica já aos sete minutos. Chute de Danilo, do Palmeiras, encontrou o braço de Eder, do São Paulo, dentro da área. O árbitro Raphael Claus foi ao monitor do VAR e não deu pênalti – decisão que teve a concordância de Sandro Meira Ricci, comentarista da Central do Apito. Chamou a atenção o fato de o lance ser parecido com o do pênalti marcado a favor do Tricolor na primeira final, em toque de Marcos Rocha.

      Raphael Claus verifica lance de pênalti no monitor do VAR
      Raphael Claus verifica lance de pênalti no monitor do VAR (Foto: Eduardo Rodrigues)

      VAR II
      Logo depois do segundo gol do Palmeiras, marcado por Zé Rafael, Raphael Claus foi ao monitor analisar uma disputa entre Danilo e Calleri – que pode ser interpretada como a origem do ataque que resultou no gol. O árbitro, porém, manteve a decisão de campo. Para Sandro Meira Ricci, foi um erro: houve falta, e o lance deveria ter sido anulado.

      Primeiro tempo
      Durou 27 minutos a vantagem que o São Paulo construiu no primeiro tempo. O Palmeiras entrou em campo muito ligado, tomou conta da partida, prensou o adversário no campo de defesa e, com menos de meia hora de partida, já vencia por 2 a 0. O primeiro gol foi aos 21 minutos. Gustavo Scarpa bateu escanteio curto para Marcos Rocha, recebeu de volta e mandou na área. Danilo cabeceou e abriu o placar. Seis minutos depois, Zé Rafael pegou sobra de bola afastada pela zaga e mandou uma pancada para fazer 2 a 0 (em lance revisado no VAR por disputa entre Danilo e Calleri na origem da jogada). Antes dos gols, o Palmeiras poderia ter aberto o placar em um possível lance de pênalti revisado pelo VAR (Raphael Claus, porém, não viu irregularidade no toque de Eder) e em finalizações sequenciais de Scarpa, Danilo e Piquerez – cortadas ou por Jandrei, ou pela zaga. O São Paulo, antes e depois dos gols, se mostrou tímido, construiu muito pouco. Teve um cabeceio de Diego, uma tentativa de voleio de Calleri, mas nada muito além disso. O Palmeiras, nos minutos finais, ainda teve chances de fazer o terceiro – inclusive em uma cobrança de escanteio de Scarpa que quase resultou em gol olímpico.

      Jogadores do Palmeiras comemoram gol de Danilo contra o São Paulo
      Jogadores do Palmeiras comemoram gol de Danilo contra o São Paulo (Foto: Ettore Chiereguini/AGIF)

      Segundo tempo
      O São Paulo voltou para o segundo tempo com o zagueiro Arboleda no lugar do lateral-esquerdo Welington – e Léo passando para o lado. Era uma tentativa de proteger o setor por onde o Palmeiras passeou no primeiro tempo. Mas a estratégia foi desmontada por Dudu. O atacante se livrou de Léo com um toque de calcanhar, recebeu de volta, deixou Diego Costa para trás e mandou na área. Raphael Veiga, livre da marcação de Pablo Maia, se jogou na bola de carrinho e desviou para o gol: 3 a 0. O placar dava o título ao Palmeiras e obrigava o São Paulo a reagir. Rogério Ceni tirou Eder, mal na partida, e colocou Luciano. A tentativa tricolor de se tornar mais ofensivo rendeu também mais espaços para o Verdão. Mas, aos poucos, os visitantes foram equilibrando o jogo. Alisson tentou duas vezes, em ambas para fora. Calleri, aos 30, pegou sobra de escanteio e mandou chute muito perigoso. Parecia uma reação. Mas só parecia. Aos 35 minutos, Zé Rafael desarmou saída de bola do São Paulo e tocou para Gabriel Veron, que acionou Veiga. O meia dominou e, com enorme tranquilidade, deslocou Jandrei e fechou o placar: 4 a 0, goleada e título para o Palmeiras.






    Virada e título
  • Zé Rafael, meia do Palmeiras, na final do Paulistão
  • Os caras do jogoRaphael Veiga festeja gol do Palmeiras contra o São Paulo
  • VAR IRaphael Claus verifica lance de pênalti no monitor do VAR
  • VAR II

    Logo depois do segundo gol do Palmeiras, marcado por Zé Rafael, Raphael Claus foi ao monitor analisar uma disputa entre Danilo e Calleri – que pode ser interpretada como a origem do ataque que resultou no gol. O árbitro, porém, manteve a decisão de campo. Para Sandro Meira Ricci, foi um erro: houve falta, e o lance deveria ter sido anulado.

  • Primeiro tempoJogadores do Palmeiras comemoram gol de Danilo contra o São Paulo
  • Segundo tempoRaphael Veiga comemora gol do Palmeiras sobre o São Paulo na final do Paulistão

Lance a lance

Alerta de gols desligado
  • FIM DE JOGO

Nenhum comentário

Postar um comentário

DIVULGAÇÃO

 


Veja também
© Todos os Direitos Reservados