Responsive Ad Slot

Últimas Notícias

latest

Idosa que 'morreu' seis vezes deixa de receber aposentadoria pela oitava vez por erro do INSS

25/01/2020

/ por casinhas agreste
Maria José da Silva 'faleceu' outras duas vezes, menos de 30 dias depois de desbloqueio. Filha não consegue reverter situação porque problema ocorreu em pouco tempo.
Por Camila Torres, TV Globo
Idosa tem aposentadoria bloqueada pela oitava vez devido a 'morte' registrada pelo INSS
A aposentada Maria José da Silva, que já havia “morrido” seis vezes para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), achou que as dificuldades para receber a aposentadoria já haviam sido resolvidas. Depois da denúncia da TV Globo no dia 9 de janeiro, o benefício chegou a ser reativado, mas em menos de 24 horas, foi bloqueado novamente porque, segundo INSS, a aposentada havia “morrido” novamente (veja vídeo acima).
A filha de Maria José conseguiu reverter a situação, mas o problema voltou a acontecer na semana seguinte. O oitavo bloqueio da aposentadoria foi feito, mais uma vez, pela “morte” da contribuinte.

“Dessa vez está sendo um pouco mais complicado. Liguei para o 135 e eu fui impossibilitada. Disseram que não tinha como fazer porque não tinham 30 dias da minha outra solicitação", disse a filha da aposentada, a telefonista Poliana Gomes da Silva.

Maria José da Silva "morreu" oito vezes e deixou de receber benefício do INSS — Foto: Reprodução/TV GloboMaria José da Silva "morreu" oito vezes e deixou de receber benefício do INSS — Foto: Reprodução/TV Globo
Maria José da Silva "morreu" oito vezes e deixou de receber benefício do INSS — Foto: Reprodução/TV Globo


Para dona Maria José, a situação é triste. “Eu estou aborrecida com isso. Tenho até desgosto, porque a gente trabalha a vida toda e quando chega no fim da vida, a gente é humilhado", afirmou a aposentada.

Na agência do INSS da Avenida Mário Melo, no Centro do Recife, a reportagem encontrou outras pessoas com problemas. Foi o caso da costureira Maria das Graças Cavalcanti de Souza, que tenta conseguir o auxílio-doença do marido, que sofreu três infartos e um Acidente Vascular Cerebral (AVC).

“Eu ligo para o 135 e falaram que, para entregar esse documento, não precisava agendar. Quando cheguei pessoalmente, me disseram que eu tinha que agendar. Não querem dar a ficha”, disse Maria, que tenta o benefício há mais de um ano.

A sede do INSS fica na Avenida Mário Melo, nº 343, no bairro de Santo Amaro, na área central do Recife — Foto: Reprodução/TV GloboA sede do INSS fica na Avenida Mário Melo, nº 343, no bairro de Santo Amaro, na área central do Recife — Foto: Reprodução/TV Globo
A sede do INSS fica na Avenida Mário Melo, nº 343, no bairro de Santo Amaro, na área central do Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

Respostas
A respeito do problema enfrentado por Maria das Graças e pelo esposo, o INSS informou que há uma pendência administrativa para entrega de documentos. O Instituto informou que ele foi atendido e liberado.

Já em relação à aposentada Maria José da Silva, o INSS afirmou que o benefício foi suspenso por suspeita de óbito, por se tratar de homônimo. A instituição também disse que o sistema informatizado de controle de óbitos é responsável por colher as informações de mortes dos cartórios de registro civil de pessoas naturais do Brasil e repassar ao INSS.


Ao constatar que o benefício foi suspenso indevidamente por erro de processamento do sistema, o INSS iniciou a reativação e o pagamento do benefício, com juros e correções.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Veja também
© Todos os Direitos Reservados