Responsive Ad Slot

Últimas Notícias

latest

Ministério Público quer recuperar desvio de R$ 2,5 milhões do fundo de previdência de Orobó

26/07/2019

/ por casinhas agreste
Procurador Sérgio Tenório França enfatizou necessidade de fiscalização dos fundos de previdência nas cidades 
(Foto: José Matheus Santos/DP) Diário de Pernambuco

O suposto esquema de fraudes de pelo menos R$ 2,5 milhões do Instituto da Previdência de Orobó (Ipreo), cidade do Agreste pernambucano, teve detalhes revelados pelo Ministério Público de Pernambuco na manhã desta sexta-feira (26). A Operação Greed (em inglês, ganância) tenta recuperar o montante desviado desde 2015 dos cofres municipais. 
De acordo com o promotor Sérgio Tenório de França, integrante do Grupo de Atuação de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), os desvios foram aumentando durante as atividades da organização criminosa e as fraudes prejudicaram pedidos de aposentadorias de servidores de Orobó. "Muitos servidores queriam se aposentar, mas não conseguiam porque não tinha dinheiro em caixa e o instituto estava com a saúde financeira debilitada", disse Sérgio. "Muito dinheiro foi desviado e precisa ser rastreado para que seja devolvido, ou seja, restituído ao instituto", frisou. 
Segundo a investigação, o chefe do esquema criminoso era o então presidente do Ipreo, Gustavo José da Silva. No ano passado, ele se afastou do cargo por iniciativa própria. Na sequência, o ex-gestor foi preso preventivamente na última terça-feira (23) junto com a esposa Mirian Gizele de Abreu Arruda e os amigos José Arthur Barbosa dos Santos e Vanelly Priscila Rodrigues da Silva Ramos. Uma terceira amiga, Jéssica Celerino dos Santos, se entregou à política nesta quinta-feira (25) após também ter mandado de prisão decretado. Outro suspeito, Jailson Flor da Silva cumpre medidas cautelares. Já foram cumpridos cinco mandados de prisão e 13 de busca e apreensão ao longo das duas fases da operação. 
“Os investigados são suspeitos de terem formado uma organização criminosa com prática de lavagem de dinheiro e peculato, que é a apropriação de bens públicos para fins pessoais”, afirmou o promotor. Os valores desviados do fundo previdenciário de Orobó eram transferidos para três empresas que tinham Gustavo como sócio. Ele, enquanto presidente, inseriu os nomes de pessoas indevidas na folha de pagamentos de aposentados. "Eram pessoas estranhas ao Ipreo. As investigações começaram com uma denúncia realizada na Ouvidoria do MPPE", explicou Tenório. 
A Operação Greed cumpriu mandados em Orobó, Vitória de Santo Antão, no interior, e Recife, Paulista e Abreu e Lima, na Região Metropolitana. Também foram realizadas diligências em Umbuzeiro, na Paraíba, e em Chapecó, Santa Catarina. 
Em Vitória-PE, em uma das empresas, também foi preso um conselheiro tutelar portando arma ilegalmente. Entre o material apreendido, está um cofre encontrado em uma das empresas, localizada em Vitória de Santo Antão. Como os policiais não têm acesso à senha, o equipamento será periciado na próxima segunda-feira (29) por especialistas. 
O promotor Sérgio reforçou, em entrevista coletiva, a importância das denúncias de servidores para combater fraudes similares em outros municípios. "Qualquer denúncia deve ser encaminhada para que o Ministério Público possa fiscalizar e cumprir o seu papel", enfatizou Sérgio Tenório. Ainda de acordo com o MP, não há investigações em curso contra o prefeito da cidade de Orobó, Cléber Chaparral (PSD). 
Os homens presos foram levados para o Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna, em Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife (RMR). Já as mulheres estão presas na Colônia Penal Feminina, no bairro da Iputinga, na Zona Oeste da capital pernambucana. Todos tiveram suas prisões preventivas decretadas. Caso condenados, a soma das penas podem atingir 30 anos.






Nenhum comentário

Postar um comentário

Veja também
© Todos os Direitos Reservados