Responsive Ad Slot

Últimas Notícias

latest

REELEITO: Paulo Câmara, do PSB, é reeleito governador de Pernambuco


Atual governador superou outros cinco concorrentes ao cargo, em eleição acirrada. Armando Monteiro (PTB) ficou em segundo lugar.
Por G1 PE

Paulo Câmara — Foto: Marlon Costa/Futura Press/Estadão Conteúdo

Paulo Câmara, do PSB, foi reeleito neste domingo (7) governador de Pernambuco para os próximos quatro anos. Com 99,37% dos votos apurados por volta das 21h40, o socialista tinha 1.896.126 votos, o que correspondia a 50,61% dos votos válidos, contra 36,01% de Armando Monteiro (PTB) (confira a apuração completa no estado)

A reeleição de Câmara leva o PSB ao quarto mandato à frente do governo de Pernambuco, junto com as duas gestões do ex-governador Eduardo Campos, eleito em 2006 e reeleito em 2010.

Paulo Henrique Saraiva Câmara, 46 anos, é natural do Recife. Ele nasceu em 8 de agosto de 1972. É casado com Ana Luiza Câmara, com quem tem duas filhas, Clara e Helena. É formado em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco. Pela mesma instituição de ensino, tornou-se especialista em Contabilidade e Controladoria Governamental e mestre em Gestão Pública.

Aos 21 anos de idade, ingressou no Banco do Brasil como escriturário concursado, entre os anos de 1993 e 1994. Em 1995, ele ingressou no Tribunal de Contas do Estado (TCE) e entrou para o governo estadual em 2007, como secretário de Administração do primeiro mandato de Eduardo Campos.

Em 2010, assumiu a secretaria de Turismo e, em janeiro do ano seguinte, a da Fazenda. Nesta última pasta, ficou até o início de 2014, quando foi indicado pelo partido para concorrer às eleições, nas quais foi eleito no primeiro turno, com 68% dos votos.

Campanha
Antes da realização das convenções eleitorais, cogitava-se a candidatura de Marília Arraes (PT) ao governo do estado, que foi aprovada pelo diretório estadual, mas barrada pelo nacional em prol do apoio a Paulo Câmara. Anteriormente favorável ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, durante a campanha, Câmara afirmou ter sido um erro o apoio do PSB ao processo que derrubou a petista.

Paulo Câmara iniciou a campanha eleitoral em primeiro lugar nas pesquisas de intenção de voto e assim seguiu até este domingo (7).

Nas eleições 2014, Câmara também foi eleito governador de Pernambuco no primeiro turno, com 68,08% dos votos válidos. Ele, que foi escolhido pelo ex-governador Eduardo Campos como postulante ao governo, havia se candidatado pela primeira vez a um cargo eletivo da administração pública.

Com 12 partidos coligados na Frente Popular de Pernambuco, a campanha de Paulo Câmara na TV ocupou cinco minutos do guia eleitoral, metade do que as 21 legendas coligadas na eleição anterior possibilitaram ao socialista.

Propostas
Durante a campanha, Paulo Câmara aproveitou as entrevistas e debates para falar sobre os efeitos da crise econômica no estado. Ele afirmou que pretende fazer um "pacto pelo emprego" e pelo crescimento econômico para recuperar e criar novas vagas de trabalho em Pernambuco.

No setor de segurança, Câmara foi alvo de críticas dos outros candidatos sobre os índices de violência no estado. Ele afirmou que quer investir na contratação de novos profissionais de segurança e na melhoria da estrutura de inteligência nas forças policiais de Pernambuco.

Ele propôs ainda a criação de um 13º salário para o Bolsa Família e a isenção do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para as famílias que recebem o referido auxílio do governo federal.

Paulo também afirmou que pretende construir moradias para diminuir o déficit habitacional e unidades de saúde em diferentes mesorregiões, para encurtar as distâncias para o tratamento médico de quem mora no interior.

Confira o resultado da votação para governo de Pernambuco:
Paulo Câmara (PSB): 50,61%
Armando Monteiro (PTB): 36,01%
Dani Portela (PSOL): 5,01%
Julio Lossio (Rede): 4,67%
Maurício Rands (Pros): 3,45%
Simone Fontana (PSTU): 0,24%
Ana Patrícia Alves (PCO): 0%
Brancos: 6,86%
Nulos: 23,01%
Abstenções: 17,90%
* Os 2.269 votos recebidos por Ana Patrícia Alves foram anulados porque ela desistiu da candidatura.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Veja também
© Todos os Direitos Reservados