Responsive Ad Slot

Últimas Notícias

latest

Multidão tomam as ruas de Recife para ver Haddad e Manuela


Milhares tomam as ruas de Recife para ver Haddad e Manuela
Uma multidão acompanhou a caminhada e o comício do candidato à presidência pelo PT no centro da capital pernambucana

Foto: Ricardo Stuckert
  G1 PE e Fórum

O candidato à presidência do PT, Fernando Haddad, acompanhado de sua vice, Manuela D’Ávila (PCdoB) mobilizou uma multidão em um ato de campanha neste sábado (23) no centro de Recife (PE). Imagens feitas pelo fotógrafo Ricardo Stuckert mostram as ruas da capital pernambucana completamente tomadas por apoiadores do petista.

Além de Haddad e Manuela, estiveram presentes na caminhada Humberto Costa (PT), que é candidato ao Senado, a ex-primeira-dama de Pernambuco, Renata Campos, o governador do estado e candidato à reeleição, Paulo Câmara (PSB), e sua vice, Luciana Santos (PCdoB).

No comício, entre gritos de “Lula livre” e “Haddad presidente”, o candidato do PT relembrou o legado de Lula no Nordeste. “Tem gente que se queixa porque o Nordeste cresceu mais do que a média nacional. Isso aconteceu porque a primeira vez que um presidente olhou para o Nordeste foi no governo Lula. Porque ele sabia a dívida histórica com o Nordeste, na educação e na saúde”.

Haddad diz que dará 'apoio decisivo' a ciclovias e à segurança dos pedestres
Candidato do PT à Presidência da República caminhou e discursou na Praça da Independência no Recife (PE) neste sábado (22). Haddad também apresentou propostas para o ensino médio.
Por Allan Nascimento, G1 — Recife

Fernando Haddad faz campanha no Recife

O candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, afirmou neste sábado (22), data que marca o dia mundial sem carro que, se eleito, dará "apoio decisivo" a ciclovias e à segurança de pedestres.

O petista caminhou ao lado de aliados e discursou para militantes e eleitores na Praça da Independência no Recife (PE).

"Hoje é dia da mobilidade e nós temos um projeto muito forte de mobilidade para o país que inclui o apoio decisivo a faixas de ônibus, ciclovias, segurança dos pedestres, mas também nós vamos oferecer um tributo, que é federal, nós vamos entregar parte para os prefeitos para eles poderem melhorar a qualidade do transporte público que é a Cide [Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico]", afirmou o candidato a jornalistas.


O candidato do PT à Presidência da República durante ato em Recife neste sábado (22) — Foto: Allan Nascimento/G1 O candidato do PT à Presidência da República durante ato em Recife neste sábado (22) — Foto: Allan Nascimento/G1
O candidato do PT à Presidência da República durante ato em Recife neste sábado (22) — Foto: Allan Nascimento/G1

Ensino médio
Também em entrevista, o petista anunciou uma proposta de auxílio entre escolas do ensino médio para melhorar o desempenho de estudantes no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

De acordo com o candidato do PT, unidades federais de educação terão de "adotar" escolas que estejam com desmpenho insatisfatório no exame.

"Cada unidade federal de ensino médio, institutos, Senac, Sesi, Senai, escolas militares, todas as unidades federais de educação, vão ter que adotar escolas de ensino médio dos estados que estejam com baixo desempenho com o compromisso de melhorar as notas dos alunos no Enem para que eles possam progredir nos estudos", disse o ex-ministro da Educação.

Ele afirmou ainda que se eleito vai propor a revogação da emenda constitucional que estabeleceu um limite para os gastos públicos por 20 anos. O objetivo da medida, segundo o petista, é retomar investimentos em obras paralisadas.

"Obra parada dá prejuízo. As pessoas imaginam que obra parada é parada, é não, a obra parada ela se deteriora, custa o dobro para terminar depois de alguns anos. Nós não podemos deixar a obra no meio. E, na Transnordestina e na transposição [do Rio São Francisco] foram bilhões gastos, tem que concluir a todo custo. Nós não vamos deixar uma obra estratégica parada", disse.

Autoritarismo
Sem se referir ao adversário Jair Bolsonaro (PSL), Haddad afirmou que não se pode tentar resolver os problemas do país "na base do autoritarismo e da violência".

"Democracia tem que ser celebrada a todo o tempo, e nós temos o entendimento de que a aliança que nós estamos fazendo, a ampla aliança de primeiro e de segundo turno, vai nos dar base de sustentação para aprovar os projetos que eu e o Lula definimos como prioritários", afirmou.

Fernando Haddad (PT) durante entrevista a jornalistas no Recife neste sábado — Foto: Reprodução/TV Globo Fernando Haddad (PT) durante entrevista a jornalistas no Recife neste sábado — Foto: Reprodução/TV Globo


Nenhum comentário

Postar um comentário

Veja também
© Todos os Direitos Reservados