Responsive Ad Slot

Últimas Notícias

latest

VIOLÊNCIA- Casinhas e Surubim na lista entre as cidades violentas governadas por Prefeitos do PSB do governo Paulo Câmara., confira os números


As cidade de Casinhas e Surubim, ambas situadas no Agreste de Pernambuco,  vêm sofrendo uma terrível  desgovernança na área da segurança a nível de Estado.
 De acordo com informação de populares; são incontáveis os números de assaltos ocorridos na cidade de Surubim, entre eles,ataques a comércio, moradores são alvejados por assaltantes que toma a luz do dia, celulares e dinheiro, casas invadidas, além  do policiamento  escasso, sem as mínimas condições de desempenhar os seus serviços por falta de infraestrutura; como número reduzido de policiais e viaturas sucateadas, em alguns casos, coletes dos PMs vencidos.
A violência é tão grave, que os moradores da cidade de Casinhas vivem enclausurados em suas residências, não por conta dos serviços domésticos, mas por insegurança, o trauma, a cultura do medo  tomou conta das duas cidades. Nos últimos meses, do início do ano para cá, são incontáveis o número de assassinatos ocorridos nessa cidade situada cerca de 130 Km da Capital.
Os dois Municípios são governados por Prefeitos do PSB, em Casinhas o Prefeito João Camelo eleito pela sigla, anda "meio sumido", em seus 100 dias de governo, aparentemente não se vê ações no combate a criminalidade nem projetos que viabilizem a paz o social, a segurança nesse Município. Enquanto isso a onda de violência corre solta, como foi nos dois últimos casos várias mortes ocorridas em comunidades vizinhas.
Para se ter uma ideia, Casinhas atingiu números alarmantes pelo grande número de assassinatos do mês de novembro para cá, foram tantos assassinatos que perdemos a estatística, não se vê medidas que possa ao menos frear essa criminalidade. Permitisse à omissão no combate a violência por parte dos Governos Pessebista nesse Município do que a prevenção de crimes.
Em Surubim, a insegurança atinge, tanto a área rural como a urbana, a Prefeita Ana Célia, também ligada ao Governo Paulo Câmara,  não tomou iniciativas contundentes no combate a Violência junto ao Governo, outro que sofre duras críticas pela estrondosa violência no Estado.
Enquanto isso o cidadão que paga seus impostos, trabalha duramente vive o “terrorismo psicológico” por falta de segurança que ficam vulneráveis a criminalidade que atinge os guetos, a periferia, enquanto isso, seus governantes, despreocupados, não tomam providências ao caso.
 Por outro lado temos um Estado ineficiente, sem poder de reação no combate a violência, policiais mal pago, a prova disso que recentemente um movimento encabeçados por vários PMs renunciaram a operação Padrão em todo o Estado. A prova disso é que o número de policiamento ficou reduzido.
Os Policiais alegavam que os valores das diárias da operação eram insuficiente pelo número de horas trabalhada. 


Violência recorde em Pernambuco: 47,7% mais mortes
Dados obtidos com exclusividade pelo FolhaPE mostram que, em janeiro e fevereiro, foram 976 Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLIs)

Por: Júlia Montenegro e Priscilla Aguiar, do Portal FolhaPE


Nos primeiros 59 dias de 2017, 976 pessoas foram assassinadas em Pernambuco. O número é 47,7% maior do que o registrado no mesmo período do ano passado, quando 661 pessoas foram mortas. Os dados - obtidos antecipadamente, com exclusividade, pelo Portal FolhaPE - deverão ser divulgados pela Secretaria de Defesa Social (SDS) apenas no dia 15 de março. Em fevereiro deste ano, o Governo mudou a metodologia e deixou de divulgar diariamente os números de homicídios.

Até o fechamento dos números, ainda pode haver uma pequena variação na quantidade de assassinatos, já que alguns inquéritos policiais que investigam a causa da morte podem ser concluídos como homicídio.

A violência no Estado já vinha apresentando índices alarmantes. Dezembro de 2016 havia sido considerado o mês mais violento dos últimos dez anos, com 472 assassinatos. Em janeiro deste ano, a estatística voltou a crescer, com 479 homicídios. O número disparou em fevereiro de 2017 e passou a liderar o ranking, com 497 Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLIs), uma média de 17,75 mortes por dia.

A última vez que um número tão alto havia sido contabilizado foi em janeiro de 2007, quando houve 459 assassinatos. Na época, o Pacto Pela Vida (PPV) ainda não havia sido lançado. Os dados não são uma surpresa para a SDS. Uma projeção feita no início da segunda quinzena de fevereiro já apontava que o mês dos Festejos de Momo deveria acabar com uma média de 500 assassinatos.

PPV em crise
O total de crimes ocorridos em 2016 - 4.479 - expõe a pior crise do Pacto Pela Vida, programa que, em maio, chegará a uma década de implantação. No mesmo período de 2015, foram 3.889 homicídios. Confira os números ano a ano:

Ano – Assassinatos


2006 - 4.634
2007- 4.591
2008 - 4.528
2009 - 4.018
2010 - 3.509
2011 - 3.507
2012 - 3.321
2013 - 3.100
2014 - 3.434
2015 - 3.889
2016 - 4.479

Dados regionais
A estatística criminal das 26 áreas integradas de segurança (AIS) teve seus índices mais altos na AIS 14 (Caruaru e outros 14 municípios do Agreste) e AIS 8 (Paulista, também na RMR), com 91 e 87 assassinatos, respectivamente, em janeiro e fevereiro deste ano. No mesmo período do ano passado, a AIS 14 teve 58 mortes e a AIS 8 teve 39.

As áreas onde houve mais aumento dos crimes foram a AIS 22 (que compreende os municípios de Belém do São Francisco, Floresta, Itacuruba, Carnaubeira, Petrolândia, Inajá, Tacaratu e Jatobá, no Sertão) e a AIS 8 (Paulista, Abreu e Lima, Igarassu, Itapissuma, Itamaracá e Araçoiaba, na Região Metropolitana do Recife). A AIS 22 aumentou de 5 para 14 mortes e a AIS 8 cresceu de 39 para 87.
 

Apenas a AIS 19 (Arcoverde e outras 9 cidades do Sertão), teve redução nos primeiros meses deste ano (em um confronto com o mesmo período ano passado, com um crime a menos - baixou de 19 para 18. Já a AIS 20 (Afogados da Ingazeira, Tabira e São José do Egito, também do Sertão), permaneceu com o mesmo índice de CVLIs - foram dez mortes. Ou seja: nenhuma delas conseguiu uma redução significativa.

Na tabela abaixo é possível ver o detalhamento dos crimes por área de segurança. Homicídios em presídios não são listados dentro das AIS.

Crimes por área

Arte: Paccelly Viana/Folha de Pernambuco


Áreas de segurança Pernambuco (AIS)

Recife

 
AIS 1 –Santo Amaro, Boa Vista, Ilha Joana Bezerra e São José
AIS 2 – Espinheiro, Iputinga, Cordeiro, Madalena, Água Fria e Campo Grande
AIS 3 – Boa Viagem, Ibura, Brasília Teimosa
AIS 4 – Várzea, Curado, Jardim São Paulo, Torrões e Afogados
AIS 5 – Apipucos, Guabiraba, Brejo da Guabiraba, Passarinho, Dois Unidos, Vasco da Gama e Alto do Mandú

Região Metropolitana

 
AIS 6 – Jaboatão dos Guararapes e Moreno
AIS 7 - Olinda
AIS 8 – Paulista, Abreu e Lima, Igarassu, Itapissuma, Itamaracá e Araçoiaba
AIS 9 – São Lourenço da Mata e Camaragibe
AIS 10 – Ipojuca e Cabo Santo Agostinho

Interior


AIS 11 – Nazaré da Mata, Vicência, Carpina, Lagoa do Carro, Lagoa do Itaenga, Paudalho, Goiana e Itambé
AIS 12 – Vitória de Santo Antão, Gravatá, Escada, Primavera e Amaragi
AIS 13 – Palmares, Catende, Xexéu, Ribeirão, Sirinhaém, Barreiros e São José da Coroa Grande
AIS 14 – Caruaru, Riacho das Almas, Agrestina, Cupira, Altinho, Ibirajuba, Lagoa dos Gatos, Panelas, Jurema, Bezerros, Barra de Guabiraba, Bonito, São Joaquim do Monte, Camocim de São Félix e Sairé
AIS 15 – Belo Jardim, Pesqueira, Sanharó, São Bento do Una e São Caetano
AIS 16 – Limoeiro, Surubim, Casinhas, Bom Jardim e Feira Nova
AIS 17 – Santa Cruz do Capibaribe, Brejo da Madre de Deus, Toritama e Vertentes
AIS 18 – Garanhuns, Águas Belas, Caetés, Lajedo, Canhotinho e Terezinha
AIS 19 – Arcoverde e Buíque
AIS 20 - Afogados da Ingazeira, Tabira e São José do Egito
AIS 21 – Serra Talhada e Calumbi
AIS 22 - Belém do São Francisco, Floresta, Itacuruba, Carnaubeira, Patrolândia, Inajá, Tacaratu e Jatobá
AIS 23 –Salgueiro e Parnamirim
AIS 24 –Ouricuri, Araripina e Trindade
AIS 25 – Cabrobó, Santa Maria da Boa Vista e Lagoa Grande
AIS 26 – Petrolina

Colaboração Folha de Pernambuco
   




Nenhum comentário

Postar um comentário

Veja também
© Todos os Direitos Reservados