São João de Aroeras dia 23

Gado Bravo aniversário neste sábado (29), e Umbuzeiro nesta terça dia (02)

As cidades paraibana de Umbuzeiro e Gado Bravo estão comemorando mais uma data de emancipação Política.

 Gado Bravo 

  O município de Gado Bravo teve seu povoamento iniciado no fim do século XIX e início do século XX, com migrações de origem endógena e exógena, principalmente do estado de Pernambuco, não se sabe porque, talvez pela proximidade da fronteira interestadual. Iniciou-se como uma pequena vila, com suas precariedades de época, seus primeiros nomes foram: Olha d´água, Vilha São José, Cruzeiro, Curtume e Gado Bravo, a origem do atual nome, se da devido a criação de Bovinos (Gado), a criação era rebelde (brava), os criadores ao conduzir o rebanho gritavam “vai gado bravo”, a citação foi pegando ate que se surgiu o nome da localidade, os tempos foram passando os habitantes aumentando, a vila teve sua primeira feira-central por volta de 1929, onde mais tarde se tornaria Gado Bravo Distrito do Município de Aroeiras, e através de um Plebiscito Popular em 29 de abril de 1994 deixou de ser distrito de Aroeiras e tornou-se Município. Em 1996 elegeu seu primeiro Prefeito, Salomão Lucena, que por problemas de saúde veio a falecer em 1997.
     Uma jovem cidade, aprendendo a caminhar com suas pernas, crescendo aos poucos, teve avanços, por volta de 2005 na gestão do Prefeito Paulo monteiro, deixou de ser administrada em uma casa alugada e passou a ter uma Prefeitura sede com mais estrutura, recebeu um Estádio de Futebol e ampliação de suas ruas com calçamento, em 2008 venceu as eleições assumindo o comando da administração o senhor Austerliano Evaldo, nos dias de hoje Gado Bravo necessita de avanços, progressos, melhorias, mais atenção na educação e saúde, agricultura e lazer, a população aguarda ansiosa a realização de um sonho que é o asfaltamento, melhorando a locomoção de seus municipis.
O Município de Gado Bravo, limita-se ao Norte com os Municípios de Aroeiras e Queimadas, ao Sol com Umbuzeiro e Santa Cecília, a Leste com Aroeiras e a Oeste com Barra de Santana,  encontra-se inserido nos domínios da bacia hidrográfica do Rio Paraíba, região do Médio Paraíba. Seus principais tributários são: os rios Paraíba e Paraibinha e os riachos Cachoeirão, dos Macacos, Itália, Salinas e Tapuio, a vegetação é composta por Floresta Caducifólia, Cerrado e Caatinga.

Tem como principais atividades culturais e de lazer, o Futebol e Vaquejada, a Tradicional Festa de seu padroeiro São José, o Festejo do Tapuio, os cocos-de-roda. Tem como fontes de rendas, a agricultura com plantios e cultivo de milho, feijão e fava, a pecuária com criação de bovinos e caprinos. 
Fonte: Gado Bravo Verdade

Umbuzeiro Emancipação Política no dia 02 de maio
É um município de significativa relevância para a história da Paraíba, visto que é berço de notáveis personalidades da política paraibana e brasileira entre eles Epitácio Pessoa, João Pessoa e Assis Chateaubriand. O município é também nacionalmente reconhecido no meio agropecuário pelo desenvolvimento e produção do gado Gir, na antiga Estação de Monta de Umbuzeiro, hoje Estação Experimental João Pessoa, sendo esta parte da EMBRAPA, tendo posteriormente sua administração transferida para a EMEPA.

A cidade faz contato com outros municípios do estado por meio das rodovias PB-102 e PB-082, e com Pernambuco, por meio das rodovias PE-088 e PE-102. Apresenta também a sede do município e suas principais localidades situadas na divisa com estado de Pernambuco, assim sendo tem alguns de seus núcleos urbanos divididos com os municípios de Orobó e Casinhas. O município também polariza a homônima Microrregião de Umbuzeiro.
 A história do território do município de Umbuzeiro tem seus primórdios na historiografia paraibana quando das primeiras expedições pelo Rio Paraíba à procura de restabelecer os contatos entre as regiões sertanejas e a capital da então Capitania da Parahyba, visto que, grande parte das relações do sertão paraibano davam-se com Pernambuco. Todavia as primeiras medidas no sentido colonizatório só se deram a partir de 1713 com a Concessão da sesmaria de Marcos de Castro Rocha. Sesmaria essa, que viria posteriormente formar a a Fazenda Marcos de Castro de Matinadas, que Passaria no século XIX a posse do Cel. José da Silva Pessoa e seus descendentes em linha reta, posteriormente a fazenda teve seu nome alterado para Fazenda Prosperidade de Umbuzeiro, em face da mudança da sede para propriedade para as proximidades do lugar onde hoje está edificada a cidade[10].

A partir de meados do século XIX, com o grande desenvolvimento algodoeiro da região de Campina Grande, Umbuzeiro tona-se ponto de parada e descanso dos tropeiros que seguiam a caminho de Recife, afim de escoarem a produção de Algodão pelo Porto do Recife. Nesse contexto algumas pessoas atraídas pelo comércio construíram as pequenas casas no local confiantes que os tropeiros poderiam ser um bom negócio. E por volta de 1870 se construía a primeira Igreja da localidade em honra a Nossa Senhora do Livramento, com a ajuda do Padre Ibiapina, grande propulsor das obras religiosas pelo interior do nordeste. A referida Igreja era parte da antiga Freguesia de Nossa Senhora da Conceição da Barra de Natuba, esta extinta em 21 de outubro de 1902, quando da transferência da sede da paroquial para a Vila de Umbuzeiro, formando assim, a atual Paróquia de Nossa Senhora do Livramento, instalada em 26 de outubro de 1902[11].
História
Em 2 de maio de 1890, pelo Decreto nº 15 do Governo Provisório do Estado da Parahyba do Norte foi criado o município de Umbuzeiro, com sede na Vila de mesmo nome e com território desmembrado do então município do Ingá, cabe ressaltar que era então secretário do governo provisório o grande jurista e filho da terra, o Dr. Epitácio Pessoa. Sendo formado pela Vila de Umbuzeiro e pelas localidades da Barra de Natuba, Mata Virgem, Aroeiras, Pedro Velho, Aguapaba, Natuba, Matinadas, Oratório, Pirauá, entre outras localidades
 Fonte: Wilkipédia


Reacções:
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário