Responsive Ad Slot

Últimas Notícias

latest

ANO DE ELEIÇÃO - Casinhas - Após 20 anos têm proposta da primeira feira livre faltando poucos meses para o pleito eleitoral


 Recentemente o Professor Edmilson esteve na Rádio POP FM concedendo uma entrevista criticando a falta de uma feira livre na cidade de Casinhas que durante seus 20 anos de cidade os dois gestores que estiveram no poder não tiveram a mínima preocupação em realizar uma feira livre no centro da cidade de Casinhas, situada no Agreste de Pernambuco.
Naquela ocasião, o Professor pontuou a falta de interesse das duas oligarquias políticas da cidade que durante todo esse tempo não construíram um mercado público, um matadouro, um açougue, uma praça no centro da cidade e uma feira livre. Tema agora insinuado pela atual gestão faltando pouco mais de três meses para a eleição.
Lembrando que a cidade de Casinhas foi emancipada da cidade de Surubim há 20 anos e ainda continua dependente da cidade mãe e de um poder político que marginalizou qualquer tipo ou espécie de desenfreamento econômico.
Casinhas que no passado era conhecida como “terra da batata”, cidade demarcada pela divisa com o Estado da Paraíba, poderá alcançar seu principal desenvolvimento econômico quando o poder Executivo reconhecer que a feira livre seja pública e democrática que traga benefícios mercantilistas e econômicos a população e que não vincule a feira  livre como uma espécie de cabide eleitoral em ano de eleição.
Que esse negócio não seja apenas de três meses antes de uma eleição,, é preciso que tenha em mãos um projeto e consultoria para no mínimo vê o melhor caminho realizar uma feira e dá o ponta pé inicial. A Pergunta fica no ar, fizeram levantamento de quantos moradores compram em outras cidades? Há campanhas que estimule a compra desses consumidores local de Casinhas compram em outras cidades e quebre a velha cultura de comprar em outras cidades?
Caso não o fez, começaram errado, então começamos a refletir que essa feira às pressas seja mais um indício de interesses particulares e não o coletivo.
Todo casinhense levante a bandeira de uma feira, sim, mas que tenha em primeiro lugar responsabilidade no que estão fazendo, não seja um projeto ôba ôba que após a eleição se torne uma feira de bancos vazios e feirantes de braços cruzados por não ter planejamentos.

Nenhum comentário

Postar um comentário

Veja também
© Todos os Direitos Reservados